OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET  MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS: "Estou para trazer sobre este lugar uma calamidade que fará tinir os ouvidos de quem ouvir falar dela. Farei isso porque eles me abandonaram e tornaram este lugar irreconhecível.Nele estão oferecendo sacrifícios a outros deuses, que nem eles, nem os seus antepassados, nem os reis de Judá conheciam, e encheram este lugar com o sangue dos inocentes. Eles construíram os altos sagrados de Baal para queimar no fogo seus filhos como ofertas a Baal, algo que eu não havia ordenado nem falado e que jamais havia ocorrido no meu coração". Jeremias 19:1-15

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Bolsonaro chama Moro de covarde e dispara: 'Graças a Deus ficamos livres dele'


O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a atacar o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, ao conversar com apoiadores nesta segunda-feira (1º), em frente ao Palácio da Alvorada.

Na conversa, Bolsonaro enfatizou que a postura de Moro teria dificultado a continuidade de flexibilizar a posse de armas de fogo para as "pessoas de bem".

"Para vocês entenderem quem estava do meu lado, essa IN (Instrução Normativa) 131 é da PF, mas [foi feita] por determinação do Moro. Ignorou decretos meus para a posse de arma de fogo para as pessoas de bem", disse Bolsonaro, que chamou Moro de "covarde".

"Por isso que naquela reunião secreta o Moro ficou calado de forma covarde. E ele queria ainda uma portaria depois que multasse quem estivesse na rua. Perfeitamente alinhado com outra ideologia que não a nossa", completou o presidente, que celebrou a sua saída.

"Graças a Deus ficamos livres dele", finalizou.

Sérgio Moro deixou o governo no último dia 24 de abril com a alegação de que Bolsonaro queria interferir politicamente na Polícia Federal com a exoneração do diretor-geral Maurício Valeixo.