OS ENCANTOS DA ZONA RURAL

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET  MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

ARENA SHOPPING SERRINHA.: O MAIS MODERNO CAMPO SOCIETY DA CIDADE

ARENA SHOPPING SERRINHA.: O MAIS MODERNO CAMPO SOCIETY DA CIDADE
ARENA SHOPPING SERRINHA. Muito boa a iniciativa de trazer mais uma opção de lazer para a nossa cidade, além de valorizar mais o local onde se encontra o referido empreendimento!!!!

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS:"Foi em vão que golpeei os seus filhos.Eles não aceitaram a disciplina.A própria espada de vocês devorou os seus profetas,Como um leão destruidor. Vocês desta geração, prestem atenção à palavra de Jeová. Será que eu me tornei para Israel como um deserto ? Ou uma terra de densa escuridão? Por que eles, o meu povo, disseram: ‘Estamos andando livremente. Não voltaremos mais para ti.Será que a moça se esquece dos seus enfeites,Ou a noiva das suas faixas? No entanto, não é possível contar os dias em que o meu próprio povo se esqueceu de mim". Jeremias 2:1-37

domingo, 31 de outubro de 2010

Dilma Rousseff é eleita a primeira Presidente da República


O Brasil elegeu hoje a primeira mulher para a Presidência da República: Dilma Rousseff, do PT., a candidata já está eleita, segundo o presidente do TSE, Ricardo Lewadoviski, em anúncio oficial na TV.
A vitória de Dilma teve a participação do cabo eleitoral mais popular do país, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que mesmo sem estar participando diretamente do pleito, teve papel fundamental ao transferir todo seu elevado índice de popularidade à candidata que escolheu pessoalmente para disputar sua sucessão.
Na Bahia, Dilma teve 70,41% dos voto e Serra, 29,59%. entre os maiores municípios baianos, só Vitória da Conquista e Itabuna deram mais votos a Serra que a Dilma (59% a 40% e 51% a 48%, respectivamente. De acordo com o TRE-Ba.
Histórico - Se dependesse dos números das primeiras pesquisas eleitorais divulgadas em 2007, a candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República jamais teria sido levada adiante. Em outubro de 2007, a pesquisa CNT/Sensus mostrava a então ministra-chefe da Casa Civil com 5,7%. Essa mesma pesquisa, contudo, mostrava que cerca de 35% dos entrevistados poderiam votar em alguém apoiado por Lula. Com base nessa sinalização, o presidente traçou um engenhoso plano para lançá-la na arena da disputa presidencial, trabalhando intensamente para colar sua imagem à de Dilma.
E a estratégia funcionou. Coube a Dilma o lançamento de uma das maiores vitrines do governo, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em 2007. No ano seguinte, Lula a batizou de "mãe do PAC". Como boa discípula, Dilma se autonomeou durante a campanha eleitoral de "mãe do Luz para Todos", programa do governo federal, criado em 2003, com o objetivo de levar energia elétrica às áreas rurais do País. E no decorrer da campanha, quando já liderava a corrida presidencial, assumiu de vez o instinto maternal e disse que pretendia ser, na Presidência, a "mãe de todos os brasileiros".
Biografia - Dilma nasceu em Belo Horizonte em 14 de dezembro de 1947 e na juventude militou contra a ditadura, atuando no Comando de Libertação Nacional (Colina) em Belo Horizonte, no final dos anos 60. Ela é classificada como durona, rígida, séria, competente, inteligente, extremamente dedicada ao trabalho. Implacável com quem enrola e exigente com os subordinados. Comandou o Ministério de Minas e Energia de 2003 a 2005, até ir para a Casa Civil com a queda de José Dirceu no escândalo do mensalão. Na nova função, tornou-se uma "mulher dura cercada de homens meigos", como ela mesma definiu.
A ex-ministra já foi filiada ao PDT, mas em 2000 filiou-se ao PT, partido que lhe abriu as portas para chegar ao mais alto cargo do País. Até o final deste ano, completará 63 anos. Dilma já casou e se separou duas vezes com ativistas políticos que lutavam contra a ditadura, mãe de uma filha, Paula Rousseff Araújo, e avó de um neto, Gabriel, que nasceu no dia 9 de setembro deste ano. É dona de Nego, labrador preto e companheiro de caminhadas matinais. Um de seus melhores amigos, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT), é quem melhor define a personalidade da nova presidente do Brasil: "Ela trabalha o tempo todo e não deixa nada sem solução. Além disso, acredita que não foi por acaso que sobreviveu à ditadura, quando chegou a ser torturada, sobreviveu para cumprir a tarefa da nossa geração e deixar um País mais justo e solidário do que aquele que nós encontramos."

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Metrópole Serviço entrevistou o defensor público, Gil Braga!


Indecisos são apenas 4%, e Dilma mantém 12 pontos de dianteira, diz Datafolha


Pesquisa Datafolha realizada ontem voltou a indicar estabilidade no quadro da corrida presidencial, com Dilma Rousseff (PT) mantendo liderança de 12 pontos sobre José Serra (PSDB).
A diferença agora é que o percentual de indecisos caiu de 8% para 4% em dois dias. Essa redução nesse grupo de eleitores indica que há cada vez menos espaço para mudanças na tendência de favoritismo da candidata do PT.
O levantamento do Datafolha, encomendado pela Folha, foi realizado ontem em 256 cidades e com 4.205 entrevistas. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Quando se consideram os votos válidos, Dilma manteve os mesmos 56% que obteve nos levantamentos de terça-feira (dia 26) e quinta-feira (dia 21). Serra também ficou com seus 44% registrados nas últimas duas sondagens
Há alguma variação no que diz respeito aos votos totais, pois aí houve redução dos indecisos. Dilma oscilou de 49% para 50% nesta semana. Serra foi de 38% para 40%. Ambos movimentaram-se dentro da margem de erro da pesquisa.
Os que votam em branco, nulo ou nenhum mantiveram-se em 5%. E houve a queda nos indecisos, de 8% para 4% em dois dias, de terça para ontem.
No geral, as curvas dos candidatos na pesquisa Datafolha neste segundo turno mostram uma tendência clara: Dilma conseguiu ganhar algum fôlego desde o início do mês (pulou do patamar dos 48% para o dos 50% dos votos totais), enquanto Serra parece ter ficado estagnado (começou outubro com 41% e agora tem 40%).
Há também uma pequena variação para baixo, dentro da margem de erro, no percentual total dos que são indecisos somados aos que votam em branco, nulo e nenhum. No início deste mês, eram 11%. Agora, são 9%. Há sinais de que esses eleitores não querem mesmo sair desse grupo.
Essa tendência é perceptível entre os eleitores que dizem ter votado em Marina Silva (PV) no primeiro turno. No começo de outubro, 9% deles votavam em branco, nulo ou nenhum e outros 18% estavam indecisos. Somados, esses dois grupos eram 27%.
Ontem, segundo o Datafolha, os "marineiros" indecisos caíram para 8%, mas os que vão anular ou votar em branco foram a 18%. Os dois grupos totalizam 26%. Ou seja, cerca de um quarto dos eleitores de Marina não se convenceram até agora a votar em Dilma ou em Serra.
Outro dado que ajuda a entender porque a petista subiu um pouco neste mês e consolidou sua dianteira é o comportamento de quem no primeiro turno votou em branco ou nulo. Na primeira semana de outubro, 14% desses eleitores diziam estar propensos a votar na petista e 25% declaravam apoio ao tucano.
Passadas quase quatro semanas, o quadro se inverteu: 25% dos eleitores que votaram em branco ou nulo no primeiro turno dizem agora que vão escolher Dilma contra 13% que optam por Serra.
A vantagem de Dilma continua ancorada no eleitorado masculino. Entre os homens, ela tem 54% contra 38% de Serra. Já no voto feminino há um empate técnico: a petista está com 46% e o tucano obtém 43%, diz o Datafolha.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número 37721/2010.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Homenagem ao Servidor Público


Não há recanto do mundo ou página da história em que não esteja presente, ainda que anonimamente, o servidor público. Nenhum governo funciona sem o corpo de servidores públicos, responsáveis pela movimentação das engrenagens que movem as administrações.
Toda pessoa que exerce a função no âmbito do Município, do Estado ou da União, ingressando por meio de concursos, nomeações, contratos ou admissões em caráter de urgência, são servidores públicos. Prestar serviços de utilidade à população é a maior tarefa destes trabalhadores.
O servidor público presta a nação sua contribuição, de forma ética e dedicada, visando alcançar os objetivos institucionais e da comunidade como um todo. Não têm lucro como objetivo nem ambição pessoal como fonte de energia; sua recompensa é a satisfação do dever cumprido, sua motivação é a certeza de estar sendo útil aos seus semelhantes.
Justa e merecida é, pois, a homenagem neste dia a todos os que, no esmero de suas funções, honram o cargo de SERVIDOR PÚBLICO.
Mensagem do Prefeito
Em nome do povo de Serrinha, agradeço às horas de trabalho dedicadas ao nosso município, aos momentos de alegria e a outros nem tão alegres, porém necessários para nossa evolução como gestores e funcionários. Temos o compromisso de melhorar a vida de nossa gente, por isso devemos ter orgulho de levantar todas as manhãs e dizer: “Eu sou servidor publico de Serrinha”.
Vamos seguir juntos e deixar em Serrinha a marca do desenvolvimento e do amor à nossa terra.

Obrigado a todos!

Osni Cardoso
Prefeito Municipal

Nilton Feliz, um radialista incansável no esporte amador da região


Onde tem jogo de futebol, lá está um membro da equipe do polivalente Nilton Feliz para deixar o torcedor bem informado.
Há vários anos no comando da equipe esportiva da rádio Sisal AM de Conceição do Coité, já enfrentou chuva, sol e quase todas as adversidades para levar o melhor da informação para seu público.
Cordial com os companheiros das outras emissoras e sempre solidário, este profissional continua enfrentando as adversidades de Oi, rodovias perigosas e esburacadas, dificuldades da comunicação brasileira e do interior da Bahia para prestar este excelente trabalho à população da região do sisal.
Nilton (foto) já viu de tudo um pouco nesta longa jornada e faz de tudo na equipe. Se precisar narra, faz reportagem, plantão, rádio-escuta...
Com isso, toda crônica e o esporte devem muito a este mega talento coiteense do rádio.

Por Cival Anjos

Prefeitura de Biritinga tem contas rejeitadas por irregularidades de mais de R$ 1 milhão em licitações


O Tribunal de contas dos Municípios rejeitou, nesta-quarta-feira (27/10), as contas da Prefeitura de Biritinga e aprovou com ressalvas e sem multa as da Câmara Municipal, relativas ao exercício de 2009.
O relator, conselheiro Fernando Vita, encaminhou representação ao Ministério Público, determinou ressarcimento de R$ 98 mil e aplicou multa de R$ 12 mil ao prefeito Gilmário Souza Oliveira, que pode recorrer da decisão.
Entre os principais motivos par a rejeição das contas estão casos de ausência de licitação, no montante R$ 513.634 e ausência de licitação por fragmentação de despesa, no valor total de R$ 525.887.
Houve também divergência entre o somatório dos documentos apresentados à Inspetoria Regional de Controle Externo IRCE e o montante registrado no demonstrativo de despesa, meses de junho – R$ 16.344 e outubro – R$ 79.096, caracterizando ausência de comprovação de despesa, no total de R$ 95.441,17, montante este que deverá ser ressarcido ao erário municipal.
Quanto ao Legislativo, na gestão de Adilson da Costa Souza, foram registradas pequenas irregularidades, como não cumprimento de prazos e relatório de Controle Interno deficientes.
Íntegra do voto do relator das contas da Prefeitura de Biritinga. (O voto ficará disponível no portal após conferência).
Íntegra do voto do relator das contas da Câmara de Biritinga. (O voto ficará disponível no portal após conferência).

Fonte: TCM

Petistas fazem avaliação equivocada da decisão de Tarcízio


“Faltou coragem”, disse o deputado estadual Zé Neto. “Tarcízio foi ingrato”, afirmou o vereador Marialvo Barreto. Os petistas fazem referência à decisão do prefeito Tarcízio Pimenta, que recentemente anunciou seu apoio ao candidato José Serra, no 2º turno das eleições presidenciais. Pensamento que, data vênia, não guarda coerência.
Dizer que faltou coragem ao prefeito chega a ser uma indelicadeza. Se diz que alguém não teve coragem de tomar uma decisão quando há um recuo explícito. Não é o caso. Tarcízio não chegou a anunciar que apoiaria Dilma Roussef. Portanto, sua escolha não pode ser taxada como resultado da falta de coragem.
O deputado usou essa expressão indevidamente, o que justificou uma certa irritação do prefeito, em sua resposta. Tarcízio, aliás, se manteve sóbrio ao rebater a afirmativa de Zé Neto e evitou uma reação à altura para não causar atritos – o que em um passado recente era algo improvável, quando o estilo trator do prefeito se fazia notar nessas ocasiões.
Na Câmara, o vereador Marialvo Barreto foi igualmente infeliz em sua análise. Disse que o prefeito filiado ao Democratas teria sido injusto com o governador Jaques Wagner e chegou a mencionar a doação de 12 toneladas de asfalto, pelo Estado, para recuperação de vias públicas em Feira de Santana, como algo que justificaria um eventual apoio de Tarcízio a Dilma ou, ao menos, que se omitisse neste segundo turno, evitando pedir votos para Serra.
Um verdadeiro disparate, com todo o respeito que merece o vereador Marialvo. Tarcízio jamais deveria trair o seu partido e suas convicções tão contemporâneas, por causa de algumas toneladas de asfalto, nem que fossem suficientes para pavimentar toda a cidade e não apenas algumas ruas.
Esse episódio, no entanto, deve servir de lição ao prefeito. Sua reação, intempestiva, à decisão do DEM, de não inserir Feira de Santana no programa eleitoral do candidato ao governo Paulo Souto, o levou a suscitar no meio político uma dúvida que jamais deveria existir de sua parte: quem apoiar no segundo turno do pleito que se avizinha.
Ao prefeito de Feira, afinal, não cabe o comportamento pequeno de alguns pequenos prefeitos, de pequenas cidades da Bahia, que se rendem ao menor afago e são capazes de mudar conceitos como trocam de cuecas – diria, de paletó, para enobrecer um pouco o comparativo.
Ao falar ao reporte Paulo José, do “Acorda Cidade”, que consultaria aliados para se decidir no segundo turno, o prefeito apenas manifestou sua insatisfação com a história do programa eleitoral. Ele tinha suas razões, mas jamais deveria ter passado recibo. Que deixasse os registros para a imprensa. Resultado: se expôs e pareceu fragilizado politicamente, doença que ainda não o atingiu, diga-se.

DECISÃO DO FICHA LIMA PODE MUDAR ELEITOS NA BA


Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em validar a Lei da Ficha Limpa para a eleição deste ano, na sessão desta quarta-feira (27), pelo menos quatro parlamentares baianos eleitos em 3 de outubro podem perder o mandato: Carlos Brasileiro (PT), Maria Luiza Laudano (PTdoB), na Assembleia Legislativa da Bahia; e Geraldo Simões (PT) e Jânio Natal (PRP), na Câmara Federal. Como os votos dados a eles seriam considerados nulos, o cálculo das coligações seria alterado. Por conta disso, na AL, além de Carlos Brasileiro, Yulo Oiticica, também do PT, perderia a vaga, já que, sem os votos dos fichas sujas, a coligação PT-PDT-PP e PRV perderia duas cadeiras. No lugar deles entrariam Capitão Tadeu (PSB) e Wenceslau Augusto (PCdoB). No lugar de Maria Luiza Laudano, entraria Jurandy Oliveira (PRP). Em relação à Câmara Federal, no lugar de Geraldo Simões entraria o boxeador Acelino Popó Freitas (PRB), enquanto que a vaga de Jânio Natal ficaria com o Pastor Luciano (PMN). Atento à votação do TSE, Jânio Natal contesta a mudança e explica a sua situação: “Esclareço que o nosso pedido de registro, já apreciado e deferido pelo TRE/BA e pelo Plenário do TSE não tem nada a ver com a questão da Ficha Limpa. No nosso caso, o que se discute é que a Câmara de Vereadores de Porto Seguro ainda não julgou as contas anuais de 2007 e 2008 e o candidato derrotado Uldurico Pinto, que é o impugnante, tenta sustentar que a competência para o julgamento dessas contas é o TCM/BA. O TSE já disse, por inúmeras vezes nessas eleições, que mesmo com a Lei de Ficha Limpa quem deve julgar as contas anuais dos prefeitos é o Poder Legislativo e como ainda não houve, em Porto Seguro, esse julgamento, não posso ser considerado inelegível”.

CASO LÉO KRET ENCRENCA CÂMARA


O top less da vereadora Léo Kret (PR) só será apurado pela Procuradoria Jurídica da Câmara Municipal se houver “provocação”. Até mesmo uma manifestação sobre o episódio só ocorrerá se um colega da republicana se manifestar “ofendido” pela exibição das curvas da legisladora na praia de Ipitanga, e acioná-la na corregedoria. O corregedor da Casa, Paulo Câmara (PSDB), disse ao BN que ela justificou ser “a foto antiga”, e precisaria de algum elemento que comprovasse que o clique foi emitido em dia de sessão. No Regimento Interno, consultado de trás para frente pela nossa reportagem, não há previsão de punição por quebra de decoro pela exposição corporal de uma vereadora, contudo, segundo o artigo 25 da norma, o processo de cassação do mandato é previsto “nos casos de infrações político-administrativas”, em que “a denúncia inscrita na infração poderá ser feita por qualquer eleitor, com a exposição dos fatos e indicação das provas”. Caso fique comprovada a ausência dela pela visita ao litoral, Léo Kret estará encrencada. Entretanto, sua assessoria nega que isso tenha ocorrido, pois ela participou na terça (26) de um evento para crianças e adolescentes no Centro Cultural da Câmara. Mesmo assim paira a dúvida no quesito “mostra física como atento ao pudor”: seria o banho de sol da dançarina-edil, de fio dental e sem a parte de cima do biquíni, ofensivo? O indivíduo do sexo masculino pode andar sem camisa. E aí?

Dilma defende restrições ao fumo, mas diz que cigarro não deve ser proibido


A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou nesta quarta-feira que o governo deve fazer campanhas de prevenção ao tabagismo e propor leis restritivas ao fumo. No entanto, segundo ela, o Estado não deve intervir e dizer "é proibido fumar."
"Eu fui uma fumante decorrente deste ambiente de favorecimento do cigarro que existia na minha juventude. Precisamos que o jovem tenha consciência de que o cigarro é um status de doença, não social", afirmou a petista.
A candidata falou com jornalistas do Grupo do RBS, do Rio Grande do Sul. A entrevista estava marcada para as 18h, mas, Dilma chegou com uma hora de atraso.
De acordo com a candidata, as regiões produtoras do fumo podem se reestruturar com a diminuição do consumo de cigarro. O Rio Grande do Sul é o maior produtor de tabaco do país.
No dia 13, o tucano José Serra afirmou hoje em Pelotas (258 km de Porto Alegre) que não é contra a produção de fumo no Brasil.
"O fato de eu ter batalhado contra o hábito do cigarro não implica que eu seja contra a produção de tabaco," disse o candidato, na oportunidade.
Como governador de São Paulo, Serra implantou a lei que proíbe o fumo em locais públicos fechados.
Ao ser questionada sobre a reforma política na entrevista ao grupo RBS, Dilma fez restrições ao voto distrital.
"No caso do distrital, tenho uma preocupação da perda de uma certa pluralidade do voto em relação ao representante. Talvez uma combinação dos dois, ou talvez uma questão melhor: deixar em aberto e abrir uma questão ampla com a sociedade."
A petista também afirmou que o governo federal deve dividir com os Estados a responsabilidade sobre o sistema prisional.
"Tem de separar a liderança do crime da massa carcerária. Eu vou continuar com as penitenciárias de alta periculosidade", afirmou a candidata.

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 5 milhões no sábado


as dezenas do concurso 1.226 da Mega-Sena, sorteados nesta quarta-feira (27), e o prêmio acumulou. No sorteio do próximo sábado, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal, o prêmio deve ser de R$ 5 milhões.
Os números sorteados hoje foram: 10 – 31 – 40 – 50 – 55 – 56
Ao todo, 57 bilhetes foram premiados na quina e levaram R$ 22.714,31 cada um. Outras 9.917 apostas acertaram a quadra e ganharão R$ 186,50 cada um.
Quem quiser tentar a sorte, deve fazer suas apostas até as 19h (horário de Brasília) do sábado (30). A aposta mínima, de seis números, custa R$ 2.

Empate no Supremo mantém Lei da Ficha Limpa em vigor


Após mais de seis horas de discussão e diante de um novo impasse, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quarta-feira (27) que o empate sobre a validade da Lei da Ficha Limpa deve ser interpretado em favor da decisão questionada. Continua valendo, desse modo, o entendimento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que aplicou a norma para as eleições 2010.
Peluso diz que solução é artificial
Supemo arquiva ação de Roriz, e Ficha Limpa continua sem decisão
Supremo não escapa de decisão sobre Ficha Limpa, dizem especialistas
Todos os ministros mantiveram os votos, e a análise sobre a aplicação da lei terminou novamente com um placar de 5 votos a 5. O plenário julgou recurso do candidato ao Senado Jader Barbalho (PMDB-PA), que foi definitivamente barrado por ter renunciado ao mandato em 2001.
Em debate acalorado, os ministros rejeitaram desempatar a questão com voto de qualidade do presidente da Corte, Cezar Peluso, ou esperar até que um novo ministro fosse nomeado para a vaga do aposentado Eros Grau.
Somente a discussão sobre o desempate durou mais de duas horas. A maioria, sete contra três, seguiu a proposta de Celso de Mello, de que o empate significa que prevalece a lei impugnada. Quatro ministros, no entanto, manifestaram preocupação com a solução encontrada.
“Tenho para mim que qualquer que seja a alternativa adotada para solucionar este caso, é sempre uma solução ficta”, repudiou Cezar Peluso, que fez questão de salientar que, contra sua opinião pessoal, proclamaria o resultado. “Eu disse que era uma decisão artificial, e de fato o é. (...) E é simplesmente pelo fato óbvio que não há maioria que decidiu. A solução aqui é recorrer à ficção. É como se houvesse uma maioria que decidiu. Mas não a há. Estamos num conjunto de impasses sucessivos. (...) Me parece que o prestígio da Corte está sendo posto em xeque. (...) A história nos julgará."
O que você achou da atuação do Supremo?
Dê sua opinião!
“O voto de qualidade pode ser inconveniente, mas não há nenhuma base para declará-lo inconstitucional”, defendeu Gilmar Mendes, que ironizou a discussão. “Daqui a pouco par ou ímpar, jogar dado, chamar um mago.”
“Para mim processo não tem capa, tem conteúdo. Não haverá decisão no caso concreto”, completou Marco Aurélio. Segundo ele, é como se o STF não tivesse recebido o recurso. “Que o Supremo não lave as mãos, que não deixe de se pronunciar”, apelou aos colegas.
O recurso de Barbalho, que teve o registro de candidatura barrado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), é semelhante ao de Joaquim Roriz (PSC-DF), que terminou em impasse entre os ministros. O Supremo já havia reconhecido a repercussão geral, e o entendimento no caso deverá ser seguido pelos tribunais inferiores em processos idênticos.
Casos como o de Paulo Maluf (PP-SP), barrado por ter uma condenação judicial, não se enquadram no entendimento e terão de ser decididos um a um, o que pode trazer novamente a discussão ao Supremo. Até lá, um 11º ministro pode ser nomeado pelo presidente Lula, encerrando o empate.
Votos
Como relator do caso, o ministro Joaquim Barbosa, votou para aplicar a lei imediatamente. Ele afirmou que o tema já foi “exaustivamente discutido” no recurso de Roriz e manteve o voto que proferiu naquele julgamento.
Tenho para mim que qualquer que seja a alternativa adotada, é sempre uma solução ficta. (...) E é simplesmente pelo fato óbvio que não há maioria que decidiu. Me parece que o prestígio da Corte está sendo posto em xeque. (...) A história nos julgará
Cezar Peluso, presidente do Supremo Tribunal Federal
A comparação à liberação de Valdemar Costa Neto, decidida na noite desta terça (26) pelo TSE, provocou a primeira discussão no plenário. Envolvido em denúncias de participação no esquema do mensalão, ele renunciou ao cargo de deputado federal para evitar ser cassado.
Durante o voto de Marco Aurélio de Mello, Gilmar Mendes chamou a decisão do TSE de “casuísmo jurisprudencial”. O presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, e a ministra Cármen Lúcia, relatora, defenderam a decisão. “Repilo qualquer insinuação de que o TSE esteja fazendo casuísmo jurisprudencial”, disse Lewandowski.
“Dificilmente vai se encontrar um caso de mais escancarada, de mais escarrada, desculpem a expressão, de retroatividade”, disse Gilmar Mendes, para quem há a possibilidade de “manipulação das eleições, porque vai se escolher candidato”. “Devemos ficar advertidos desses excessos de moralismos. Em geral, descambam em abusos quando o são notória e notoriamente falsos.” O ministro, em seu voto, classificou a aplicação imediata da norma de “convite para um salão de horrores”.
Assim, a votação sobre o caso terminou em 5x5 novamente. Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia, Ellen Gracie, Joaquim Barbosa e Ayres Britto voltaram a se manifestar pela aplicação imediata da lei. Foram contra Marco Aurélio, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cezar Peluso.
Seria possível alguém que renunciou para não sofrer um processo ético, que usou o direito de não se autoincriminar, agir contrariamente ao direito, ter praticado um ato contrário à probidade administrativa ou a moralidade por exercício do cargo?
José Eduardo Alckmin, advogado de
Jader Barbalho
O advogado de Jader Barbalho, José Eduardo Alckmin, chegou a pedir a suspensão do julgamento até que outro ministro fosse nomeado. “Essa Corte não pode ficar paralisada”, rebateu Celso de Mello. “O tribunal deve procurar meios para superar esse impasse.” A maioria também rejeitou o adiamento.
Entenda a decisão sobre a Ficha Limpa
O STF começou a julgar a aplicação da norma em setembro, mas um impasse adiou a decisão até que outra contestação chegasse à Corte. Diante da indefinição e de decisões conflitantes da Justiça Eleitoral, candidatos mantiveram-se na disputa e, sub judice, receberam votos -que permanecem zerados enquanto não há decisão final sobre seus registros.
Jader Barbalho, segundo candidato ao Senado mais votado no Pará, foi barrado pela Lei da Ficha Limpa porque renunciou ao mandato de senador em 2001, para escapar de possível cassação por quebra de decoro.
A diferença com relação a Roriz é que Barbalho obteve o deferimento de seu registro de candidatura por duas vezes após ter renunciado. E foi eleito, em 2002 e 2006. Assim, sua defesa alegou que a retroatividade da lei iria prejudicar o candidato.
Fica muito evidente neste caso, talvez até mais que em outros, que a gravidade das denúncias objeto das representações oferecidas no Senado era tamanha que dificilmente haveria como impedir-se a cassação do mandato do senador Jader Barbalho. Não se tratava apenas de uma opção de conveniência política
Roberto Gurgel, procurador-geral da República
Pela Lei da Ficha Limpa, o político que renunciar para não ser cassado fica inelegível por oito anos após o fim do mandato que cumpriria. Antes, eram três anos. A legislação também barra candidatos com condenação por decisão colegiada (por mais de um desembargador).
Demora
A divisão da Corte provocou desgaste. Os ministros foram unânimes em considerar a lei constitucional, mas cinco votaram para aplicar a norma nestas eleições, enquanto outros cinco entenderam que a aplicação imediata fere direitos dos candidatos, pois não entrou em vigor um ano antes da eleição como exige a Constituição.

Com a aposentadoria do ministro Eros Grau, para cuja vaga o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda não nomeou substituto, coube aos ministros decidirem se haveria desempate. Uma das possibilidades seria o voto de desempate do presidente, que votaria duas vezes. Sem consenso, o julgamento foi adiado.

Roriz contestou o mesmo ponto da legislação, mas o recurso perdeu o objeto depois que o candidato desistiu de concorrer ao governo do Distrito Federal para indicar a mulher, Weslian Roriz, em seu lugar na chapa.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Eleitores que não votaram no primeiro turno podem votar no próximo domingo



A regra vale inclusive para quem não justificou a ausência no dia 3 de outubro, pois o prazo para apresentar os motivos para a Justiça Eleitoral é até dia 3 de dezembro.
No primeiro turno, 24,6 milhões de pessoas não votaram e devem justificar o não comparecimento nas urnas. A ausência em cada turno da eleição deve ser justificada individualmente e a pessoa que não votar em três eleições consecutivas, não justificar a ausência e não quitar a multa devida terá sua inscrição cancelada e poderá ser excluída do cadastro de eleitores.
O eleitor que não estiver com a sua situação regularizada na Justiça Eleitoral não pode obter passaporte ou carteira de identidade; receber vencimentos, caso seja servidor público; inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública; e renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo.
Só poderão votar em trânsito no segundo turno os eleitores que fizeram registro na Justiça Eleitoral entre os dias 15 de julho e 15 de agosto. O voto em trânsito só pode ser feito nas 26 capitais e no Distrito Federal e para o cargo de presidente.

Fonte: Agência Brasi

Adversário político não é um inimigo a ser dizimado, alerta Aécio


O senador eleito em Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), também comentou em sua visita a Feira de Santana sobre o episódio que culminou em uma violência sofrida pelo candidato a Presidência da República, José Serra, no Rio de Janeiro, há uma semana. O político mineiro espera que haja uma forte rejeição do Governo Federal quanto a atos como esse.
“E é muito importante que terminemos essa campanha em paz, com serenidade, e não podemos incentivar a posição daqueles que acham que o adversário político é um inimigo a ser combatido, a ser dizimado, não é. O adversário é alguém que está em outra posição política, mas com quem amanhã você pode está junto construindo projetos de interesse da população”, frisou.
“Eu espero que nós tenhamos um final de campanha aqui em Feira, em Salvador, e em toda a Bahia em paz e em tranqüilidade e acredito que no momento da decisão, na urna, solitariamente, quando o eleitor e a eleitora ali chegarem, vão pensar e no futuro e verão em Serra alguém muito mais preparado nesse momento para enfrentar os desafios no Brasil e realmente resgatar o compromisso de todos os brasileiros com essa região”, completou.

(Ordachson Gonçalves)

Vidente da Copa de 2010, polvo Paul morre na Alemanha


Uma das atrações durante a Copa do Mundo-2010, o polvo Paul morreu nesta terça-feira no aquário de Oberhausen, na Alemanha.
O polvo foi uma das estrelas do Mundial da África do Sul por acertar os resultados dos jogos, incluindo a vitória da Espanha sobre a Holanda na decisão da competição.
"A direção e a equipe do Centro da Vida Marinha de Oberhausen ficaram devastados ao descobrir que o polvo oráculo Paul, que obteve reconhecimento global durante a recente Copa do Mundo, morreu durante a noite", afirmou um comunicado divulgado pelo aquário da cidade alemã.
O polvo Paul, morador do aquário Sea Life, em Oberhausen, na Alemanha, se tornou famoso após acertar os resultados da Copa do Mundo. Na oportunidade, moluscos eram colocados em dois potes com a bandeira de cada seleção. O pote que Paul se dirigia para comer o molusco vencia os jogos do Mundial.

Informações da Folha Online

Dilma tem 49% e Serra 38% das intenções de voto, diz Datafolha


A pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira, 26, revelou que Dilma Rousseff (PT) tem 49% das intenções de voto — 1% a menos que na pesquisa antetior, divulgada no dia 21/10 — e José Serra (PSDB) oscilou de 40% para 38%.
Considerando apenas os votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), o cenário é idêntico ao da última pesquisa: Dilma com 56% e Serra com 44%. Os brancos e nulos somam 5% (4% na última sondagem) e os indecisos subiram de 6% para 8
Na análise por região, a candidata do PT vence com folga o adversário no Nordeste (64% a 27%) e tem vantagem de 4 pontos porcentuais no Sudeste (44% a 40%). No Sul, o tucano oscilou dois pontos porcentuais negativamente, mas se mantém à frente da petista (48% a 41%).
A pesquisa mostra ainda que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva atingiu seu recorde de aprovação no Datafolha: 83% dos eleitores avaliam a sua administração como ótima ou boa. Os eleitores que consideram o governo Lula regular somaram 13% e os que dizem que ele é ruim ou péssimo é de 3%.
Repercussão - O colunista do O Globo, Ricardo Noblat, não teceu muitos comentários sobre o resultado da pesquisa Datafolha, apenas postou no twitter: "Datafolha - Tudo igual. Melhor para Dilma". Para o cientista político da Universidade Federal da Bahia, Joviniano Neto, a pesquisa, de fato, confirma uma situação de estabilidade.
"O bombardeio de ataques de ambos os candidatos pode aumentar o número de indecisos, mas ainda assim não é um volume suficiente para mudar o resultado. Se as pesquisas estiverem verdadeiras, e todas marcham na mesma direção, temos uma eleição praticamente definida", analisou.
O Datafolha entrevistou 4.066 eleitores em 246 municípios brasiléiros nesta terça-feira. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

*com informações da Agência Estado

Prazo para o Censo 2010 terminará no dia 31 de outubro


Está chegando ao fim o prazo para as entrevistas do Censo 2010, que seguem até o dia 31 de outubro, e muitas pessoas ainda não foram ouvidas. Dos 417 municípios baianos, 302 (72,42%) já encerraram a coleta.
Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que os recenseadores do órgão já passaram em 3.936.203 (88,74%) domicílios na Bahia, com 13.515.401 cidadãos recenseados, ou seja, 92,33% da estimativa feita em 2009, que encontrou o total de 14.637.364 habitantes.
Prejuízo - De acordo com o chefe da unidade estadual do IBGE, Artur Ferreira, há uma tendência de que grandes municípios baianos não consigam chegar ao que foi estimado.
A diminuição dos números contabilizados pelo IBGE afeta diretamente os municípios, principalmente aqueles que têm como principal fonte de renda os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), haja vista que os percentuais de repasse são baseados no censo.
Santo Amaro, no Recôncavo baiano, é um exemplo disso, pois tem no FPM sua principal fonte de recursos. Na última contagem, em 2007, o município tinha aproximadamente 58 mil habitantes, mas os dados preliminares do censo 2010 apontam redução desse número.
O prefeito de Santo Amaro, Ricardo Machado, preocupado com as dificuldades para administrar as contas do município, questiona a contagem do IBGE e afirma que o município teve um crescimento populacional de 15% a 20%.
Segundo ele, se confirmados os números do Censo 2010, há uma previsão de perda mensal de cerca de R$ 300 mil. “Para um município que vive basicamente do FPM, isso é uma tragédia”, afirma.
Casas fechadas - Em Barreiras, o Censo 2010 já cadastrou 129 mil habitantes, mas a meta é chegar a 137.832, de acordo com a chefia da agência local do IBGE. O maior problema detectado são as casas fechadas.
De acordo com o coordenador regional do IBGE, José Carvalho, a estimativa é que nestes domicílios resida uma média de sete mil pessoas. Somadas às 129 mil já cadastradas, o número de Barreiras chegaria a 136 mil habitantes.

Com 83%, aprovação ao governo Lula bate recorde histórico, mostra Datafolha


Maior cabo eleitoral da presidenciável Dilma Rousseff (PT), o presidente Lula também está se beneficiando do período eleitoral.
Pela terceira semana consecutiva, a avaliação de seu governo obteve um patamar recorde de aprovação na série histórica do Datafolha na pesquisa realizada e divulgada hoje pelo instituto.
No levantamento atual, 83% dos eleitores brasileiros avaliaram sua administração como ótima ou boa.
Na semana passada, essa aprovação chegava a 82%. No mesmo período, o patamar dos que consideram seu governo regular passou de 14% para 13%, enquanto 3% dizem que ele é ruim ou péssimo, índice que se manteve.
Dois de cada três eleitores de Serra (67%) avaliam a gestão de Lula como ótima ou boa. Entre os eleitores de Dilma, esse índice chega a 96%.
Para 80% dos eleitores que votaram em Marina no primeiro turno, a gestão do petista é ótimo ou bom.
A nota atribuída ao governo Lula no atual levantamento é 8,2, a mesma registrada na semana passada.

No RS, Serra compara campanha de Dilma a nazismo


O candidato do PSDB à Presidência José Serra esteve na noite de terça-feira (26) em comício na cidade de Caxias do Sul (RS), a 150 quilômetros da capital Porto Alegre, onde comentou sobre o debate de segunda-feira na Rede Record e reforçou a inexistência da refinaria de petróleo no Maranhão. “Eu nunca vi uma máquina da mentira funcionando como agora. Pega uma coisa completamente absurda e fica repetindo. Repetindo, repetindo, no melhor estilo da propaganda nazista ou fascista.
Os principais líderes do PMDB no Estado estiveram presentes no evento como o ex-governador Germano Rigotto, o ex-prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, e o atual prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori. O partido permanece dividido no Rio Grande do Sul apesar do apoio nacional à candidata do PT, Dilma Rousseff.
Serra também criticou acordos do Brasil com o governo do Irã. “Repudio a política externa brasileira que mantém alianças com as piores ditaduras do mundo”, diz o tucano. Ainda no aeroporto, Serra fez um alerta: “O país está tendo dois desequilíbrios galopantes. No caso das contas públicas e no caso das contas externas. Estamos caminhando para o maior déficit de conta corrente da história”.
Durante o comício, Serra elogiou o suco de uva de Caxias, produto típico da região, afirmando que é o melhor do mundo, porque não contém conservantes. O candidato também falou bem do hino rio-grandense “É o mais bonito do Brasil, que ninguém me ouça”, diz o tucano.

Tribunal nega ao pai de Michael Jackson acesso à herança do filho


Los Angeles (EUA), 26 out (EFE).- A Corte de Apelações da Califórnia rejeitou nesta terça-feira a tentativa do pai de Michael Jackson, Joe Jackson, de questionar a gestão da herança do 'Rei do Pop', controlada por um fundo fiduciário.
A decisão pôs fim à luta legal do patriarca dos Jackson de administrar a fortuna do falecido filho, quem o deixou de fora de seu testamento datado de 2002.
O Tribunal de Apelações coincidiu com o veredicto de outra corte californiana que, em novembro de 2009, já tinha desprezado as pretensões de Joe Jackson.
Pouco depois da morte do cantor, em 25 de junho de 2009, Joe Jackson recorreu à Justiça para tentar ganhar voz sobre o patrimônio do filho, quem preferiu delegar a gestão de seus bens ao advogado John Branca e ao produtor fonográfico John McClain.
O testamento de Michael Jackson citou como únicos herdeiros sua mãe, Katherine Jackson, e seus três filhos, Prince Michael, Paris e 'Blanket'.
Michael Jackson morreu de intoxicação aguda de anestésicos, remédios prescritos por aquele que foi seu médico pessoal, Conrad Murray - acusado de homicídio culposo pela morte do cantor.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Tipo sanguíneo pode afetar fertilidade de mulheres acima de 35 anos

A capacidade de uma mulher engravidar depois dos 35 anos pode ser influenciada por seu tipo de sangue, segundo pesquisadores da Albert College of Medicine, em Nova York, e da Universidade de Yale. A informação foi publicada no site da "BBC News".
O estudo americano analisou 560 mulheres submetidas a tratamentos de fertilidade e descobriu que aquelas com tipo sanguíneo "O" tinham indícios químicos ligados a um baixo número de óvulos.
Não há uma explicação clara para os resultados, apresentados em uma conferência da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, em Denver.
A pesquisa focou os níveis de uma substância química chamada FSH (hormônio folículo estimulante) em mulheres que tinham idade média de 35 anos.
A mulher tem um número fixo de óvulos --sua "reserva ovariana"--, liberados gradualmente ao longo de sua vida fértil.
Altos níveis de FSH são indicadores de que essa reserva está diminuindo mais rápido --o que pode reduzir as chances de concepção quando a mulher chega aos 35.
A análise das amostras de sangue revelou que as mulheres com tipo de sangue "O" tinham maior quantidade de FSH. Já aqueles com sangue tipo "A" tinham níveis mais baixos do hormônio.
Segundo o ginecologista e obstetra Aléssio Calil Mathias, diretor da Genics Medicina Reprodutiva e Genômica e do ICS (Instituto de Ciências em Saúde), o tipo de sangue não é determinante para uma gravidez, pois, após os 35 anos, todas as mulheres passam a ter a diminuição da produção de óvulos.
"Na minha opinião, a pesquisa não tem relevância, qualquer mulher acima dessa idade deve correr para poder engravidar."
Mathias explicou que apenas de 25% a 30% das brasileiras engravidam naturalmente antes dos 35 anos. Aos 42, a chance cai para 1%.
"Pacientes com idade mais avançada realizam um tratamento que consiste em captar maior número de folículos --onde ficam os óvulos-- possível. A preocupação com o tipo de sangue é perda de tempo", afirmou.

Justiça admite fazer teste de alfabetização com Tiririca e decreta sigilo em processo


O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Sérgio Rezende Silveira, afirmou em despacho que entende necessária a realização de um teste para verificar, de forma reservada e individualmente, se o humorista Francisco Everardo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, é alfabetizado. Tiririca foi o candidato a deputado federal mais votado no Estado, com 1,3 milhão de votos.
Para que a avaliação ocorra sem constragimentos, o magistrado decretou segredo de justiça no processo.
Juiz afirmou que entende necessária a realização de um teste para verificar se o palhaço Tiririca é alfabetizado
Com a medida o juiz atendeu a pedido feito pelo advogado Ricardo Vita Porto, que apresentou nesta segunda a defesa de Tiririca na ação penal em que o deputado eleito é acusado de prestar declarações falsas sobre sua alfabetização e propriedade de bens.
Esse processo pode levar à aplicação de uma pena de um a cinco anos de prisão, mas não pode impedir a diplomação do humorista, prevista para dezembro.
Em despacho de ontem, Silveira declarou: "considerando a documentação que instrui a defesa bem como a necessidade de se fazer cumprir a exigência prevista no art. 26, § 9º, da Resolução nº 23.221, defiro que a ação penal doravante se processe em segredo de justiça".
A resolução citada pelo juiz estabelece que na falta de comprovantes de escolaridades os juízes eleitorais podem verificar a alfabetização de candidatos "por outros meios, desde que individual e reservadamente".
REPRESENTAÇÃO
O promotor Maurício Lopes virou alvo de representação no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público). Na peça, ele é questionado por ser autor de "manifestações públicas inadequadas, exageradas e preconceituosas" contra o humorista.
A representação foi protocolada ontem pelo conselheiro Bruno Dantas. No documento, ele afirma que a conduta de Lopes é "incompatível" com o princípio da "impessoalidade".
"O promotor optou pela desmoralização pública do candidato eleito, ao invés de pautar sua atuação na técnica processual, como faz a maioria dos membros do Ministério Público, que não depende dos holofotes", ressaltou Dantas na peça.
A representação tem como base entrevistas, nas quais o promotor trata o caso Tiririca como uma "questão de honra" e "estelionato eleitoral".
Desde que Tiririca foi eleito, Maurício Lopes fez duas acusações contra ele, alegando que o palhaço apresentou declarações falsas sobre sua alfabetização e bens.
Procurado pela Folha, o promotor disse que a representação é um "exagero". "É uma tentativa de desqualificar o acusador para beneficiar o réu", afirmou.

REPÚDIO

Em nota pública divulgada hoje, o presidente da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil seccional São Paulo), Luiz Flávio Borges D'Urso afirma repudiar "veementemente" a declaração de Maurício Antonio Ribeiro Lopes, que, em entrevista ao "Correio Braziliense", usou a expressão "advogado é sórdido", quando comentava decisão do advogado de Tiririca, Ricardo Vita Porto, de entregar a defesa somente dez minutos antes do final do prazo legal.
D'Urso diz que a OAB-SP recebe o pedido de desagravo público a Porto e que um processo legal será instaurado visando a reparação moral do advogado.
O presidente da entidade afirma que "empresta solidariedade da toda a classe" ao advogado e insinua na nota que a OAB-SP pode tomar outras medidas contra o promotor.

Atrás nas pesquisas, Serra adota tom combativo em debate na TV


Atrás nas pesquisas de intenção de voto, o candidato José Serra (PSDB) saiu do tom moderado e adotou uma postura mais combativa contra a adversária na disputa presidencial, Dilma Rousseff (PT), no debate da TV Record.
Mais sério do que em debates anteriores, o tucano foi ao ataque usando os escândalos na Casa Civil, o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) e o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), e tentou inverter os ataques feitos a ele pela campanha petista, que o acusa de defender a privatização. Nos temas da banda larga e da Petrobras, sugeriu que quem trabalhou pela privatização foi Dilma.
Em debate, Dilma e Serra trocam críticas e acusações sobre infraestrutura e escândalos
Privatização da Petrobras e do pré-sal domina segundo bloco de debate
A candidata petista rebateu os ataques e, em geral, contra-atacou. Quando o assunto foi a Casa Civil e Erenice Guerra, Dilma trouxe novamente à tona as acusações envolvendo o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto. Insistiu no assunto por três vezes.
ESCÂNDALOS
Serra foi o primeiro a abordar a temática dos escândalos, e citou a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, que hoje prestou depoimento à Polícia Federal no caso em que é acusada de tráfico da influência.
Dilma se apressou em responder com um argumento já usado em outros debates, e partiu para o contra-ataque, ao tratar de Paulo Preto.
"A seis dias da eleição nós temos um fato importante. A ex-ministra depôs na Polícia Federal. O que dizer do Paulo Preto, que quando te ameaça vocês escondem o que ele faz? Ele está envolvido na operação Castelo de Areia por desvio de recursos", disse a candidata petista.
Serra rebateu afirmando que a campanha petista inventa "um rosário de mentiras" sobre ele.
"Vocês inventam uma coisa de que teria havido uma contribuição que eu não teria recebido e ele teria recebido. Primeiro que eu seria a vítima. Quem tem que investigar é a Polícia Federal. Ele sequer foi chamado para depor"
Dilma insistiu no assunto Paulo Preto.
"A Polícia Civil de São Paulo poderia investigar o fato de que ele foi preso por receptação de joia roubada. Além disso, vocês poderiam pelo menos ter aberto uma sindicância para investigar esses malfeitos. Tem gente que investiga e pune, tem gente que acoberta e considera a pessoa que fez o malfeito competente e séria".
Serra, então, recorreu aos escândalos na Casa Civil novamente.
"Ela [Dilma] teve como braço direito uma mulher que montou um esquema amplo de corrupção. Aliás, foi a mulher que a Dilma deixou pra ocupar o lugar dela".
A petista fez graça quando Serra usou novamente a expressão "trololó".
"O candidato Serra quando está pressionado inventa essa historia de trololó. É muito importante que responda pelo senhor Paulo Preto. É braço direito, esquerdo e se duvidar é a cabeça também."
PRIVATIZAÇÃO
Nas quatro perguntas do segundo bloco, o assunto privatização foi debatido ou citado pelos presidenciáveis com os mesmos argumentos usados na propaganda eleitoral.
Serra acusou Dilma de "mentirosamente" dizer que ele quer privatizar o pré-sal. No entanto, segundo o tucano, a petista --como presidente do Conselho de Administração da Petrobras-- entregou a exploração do petróleo brasileiro para 108 empresas privadas, "metade para estrangeiras e metade nacionais".
Segundo Dilma, as concessões foram dadas antes da descoberta do pré-sal, um "bilhete premiado".
"Você está misturando um momento quando não existia o pré-sal, com o momento que existia."
Ela ainda citou a entrevista do deputado Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES) à Folha desta segunda-feira na qual afirma que a Petrobras não tem como explorar sozinha o pré-sal.
"Uma pessoa importante do PSDB declarou que está errado esse modelo de operar a Petrobras", afirmou a petista.
Em sua resposta, Serra afirmou que favoreceu até para uma multinacional White Martins.
"Tínhamos uma regra do jogo. essa regra valia para esse petróleo de baixa qualidade. quando a gente viu que havia um bilhete premiado, nós mudamos o modelo", rebateu Dilma.
Ao ser questionado pela adversária sobre a criação de empregos, Serra voltou a falar do petróleo.
"Eu duvido que alguém tenha entendido o que a Dilma explicou", afirmou o tucano. Segundo ele, a petista foi a pessoa que mais entregou a exploração de petróleo para empresas privadas no mundo.
"O que eu quero fazer é restatizar a Petrobras", afirmou Serra.
"Você ficou caladinho quando quiseram mudar a Petrobras para Petrobrax", respondeu Dilma sobre a ideia surgida no governo Fernando Henrique Cardoso.
"O diretor de marketing teve uma ideia ao meu ver tola", disse o tucano sobre a questão.
O presidenciável ainda afirmou que o governo entregou parte da Petrobras para o comando do ex-presidente Fernando Collor. Na sua última fala, no terceiro bloco, Serra afirmou que houve também na administração Dilma na Petrobras privatização do pré-sal.
Outro assunto debatido no bloco foi a segurança com os candidatos apresentando propostas já ditas durante a campanha.
Na quarta pergunta, Dilma questionou Serra sobre o desmatamento. Na discussão, a petista defendeu as metas fixadas pelo governo Lula para reduzir em 39% as emissões de gás carbônico do país até 2020. Segundo ela, isso inclui reduzir em 80% o desmatamento na Amazônia e em 40% no cerrado.
"Temos um compromisso claro com essas metas", afirmou. Ao tréplica, Serra prometeu fazer o "desmatamento zero" na Amazônia. O tucano disse ainda que, enquanto Dilma no governo, se posicionou contra o Fundo Internacional do Meio Ambiente.
PAC
Questionado por Dilma sobre o PAC e projetos de investimento para o Nordeste, Serra disparou contra o programa e afirmou que não há "planejamento" nem "entrosamento" entre as obras.
"Teve um índice de realização pequeno. Talvez um sétimo foi de fato realizado", disse. "Há muito mais saliva, muito mais propaganda do que realização".
O tucano criticou também a lentidão nas obras da Transnordestina e da ferrovia norte-sul.
Dilma rebateu, e acusou Serra de estar "colando" os programas do governo federal.
"No seu programa de TV você fala que vai fazer justamente as obras do PAC. Nós tiramos do papel e estamos fiscalizando".
MST
No último bloco, Serra questionou Dilma sobre o MST, que, segundo ele, "é um movimento político, que usa a reforma agrária como pretexto". O tucano disse estar preocupado com o fato de que o governo "tem dado dinheiro" ao movimento.
"O MST tem a sua política e o governo federal sempre teve a dele. Não tratamos movimentos sociais nem com cassetete nem com repressão. Eventos como aquele dramático que foi a morte de vários agricultores em Eldorado dos Carajás. As invasões de terra diminuíram no governo do presidente Lula e certamente diminuirão no nosso. O MST é uma coisa, nós somos outra. Em vários momentos tivemos conflito, mas em outros estabelecemos diálogo", devolveu Dilma.
Serra lembrou de um episódio em que Dilma vestiu o boné do movimento e depois disse que jamais voltaria a vesti-lo. O tucano rebateu as falas de Dilma de que o governo Lula assentou mais pessoas do que o governo FHC e de que o número de invasões de terra diminuiu no atual governo.
"As invasões aumentaram com relação ao governo passado. Antes teve 800 por ano. Nesse ano teve 900. E não são só invasões, são também destruições. Uma coisa é reforma agrária, outra é a violência pra quebrar a ordem jurídica", afirmou Serra.
Dilma subiu o tom e acusou o tucano de não cumprir promessas.
"Você me obriga a fazer um comentário. Em matéria de quebrar proposta, você bate qualquer regra. Você prometeu pro eleitor paulista que não sairia candidato quando era prefeito, registrou em cartório e infelizmente você rasgou uma proposta que você registrou em cartório. Eu não concordo com tudo o que o MST faz. Nós sempre deixamos claro que éramos pela legalidade. Agora, o que não esta certo é você achar que o MST é questão de policia, e não de política social."

Michael Jackson é a celebridade morta mais lucrativa, diz Forbes


NOVA YORK - A morte repentina de Michael Jackson fez com que seus enlutados fãs botassem a mão no bolso e o transformassem na celebridade morta mais lucrativa deste ano, com um faturamento de 275 milhões de dólares, segundo um ranking divulgado na segunda-feira pela revista Forbes.
Jackson faturou postumamente mais do que a soma das outras 12 celebridades da lista. Ele morreu em 25 de junho de 2009, e na lista do ano passado ele já aparecia em terceiro lugar, com 90 milhões de dólares faturados.
Em segundo lugar na lista deste ano vem Elvis Presley, que morreu em 1977. Negócios como a cobrança de ingressos na mansão-museu de Graceland (Tennessee), um espetáculo do Cirque du Soleil e mais de 200 contratos de publicidade e licenciamento renderam 60 milhões de dólares ao seu espólio.
"O lugar de Jackson no topo da nossa lista de celebridades que mais lucram não é uma surpresa, devido ao renovado interesse dos fãs por sua música, seus vídeos e por tudo o que diga respeito a Michael Jackson", disse Lacey Rose, articulista da Forbes.
Jackson morreu aos 50 anos, vítima de uma overdose acidental de medicamentos, quando preparava uma turnê de retomada da carreira em Londres. Ele deixou três filhos e uma dívida de meio bilhão de dólares.
Mas seu espólio já gerou milhões de dólares desde a sua morte, a maior parte pela venda de discos, pelo filme-show "This Is It", por contratos para o lançamento de novos álbuns e por um espetáculo do Cirque du Soleil em Las Vegas.
Rose disse que o "Rei do Pop" ganhou no último ano mais do que Lady Gaga, Madonna e Jay-Z juntos.
Em terceiro lugar na lista da Forbes vem o escritor J.R.R. Tolkien (1892-1973), autor da trilogia "O Senhor dos Anéis", com um faturamento de 50 milhões de dólares. O desenhista Charles Schulz (1922-2000), criador dos personagens Charlie Brown e Snoopy, apareceu em quarto lugar, com 33 milhões de dólares.
Em quinto lugar veio o ex-Beatle John Lennon (1940-80), com 17 milhões de dólares.
O estilista Yves Saint Laurent, que liderou a lista do ano passado - quando grande parte seu espólio foi vendida por 350 milhões de dólares - deixou a lista em 2010. O escritor Michael Crichston e o artista Andy Warhol também não foram incluídos.
Além de Michael Jackson, os estreantes deste ano incluem George Steinbrenner, que era dono do time de beisebol Yankees, e o escritor sueco Stieg Larsson
Para entrar na lista, a celebridade morta deve ter arrecadado pelo menos 5 milhões de dólares entre 1o de outubro de 2009 e 1o de outubro de 2010. O levantamento foi feito a partir de entrevistas com agentes, advogados e outras fontes.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Vox Populi: Dilma mantém vantagem sobre Serra, mas número de indecisos cresce


Pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda-feira, 25, pelo portal iG mostra a candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, com 49% das intenções de voto, enquanto José Serra (PSDB) figura com 38%. Na mostra anterior, divulgada no dia 19, Dilma tinha 51% e Serra, 39%.
A diferença entre os dois candidatos passou de 12 para 11 pontos porcentuais. Os votos em branco e nulos somam 6%, mesmo índice da sondagem anterior, e os indecisos passaram a 7%, antes 4% no último levantamento.
Se levados em conta apenas os votos válidos, Dilma aparece agora com 57%, enquanto Serra tem 43% - uma diferença de 14 pontos porcentuais. De acordo com a mostra, 88% dos entrevistados disseram estar decididos sobre em quem votar.
A petista segue com sua maior vantagem no Nordeste, onde bate o tucano por 64 a 27 por cento. Já Serra vence Dilma apenas no Sul, por 47 a 39 por cento. No Sudeste, o placar é de 44 a 40 por cento a favor da candidata do PT.
Segundo Ricardo Noblat, colunista do Jornal O Globo, a pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda não trouxe muitas novidades em relação à pesquisa anterior. Para o jornalista do Jornal O Estado de S. Paulo, José Roberto de Toledo, o aumento de número de indecisos pode ser um alento para a campanha tucana.
“Se os números estiverem corretos, pode ser sinal de que a troca de chumbo entre Dilma e Serra esteja aumentando o contingente de indecisos, que, em tese, poderiam migrar para o tucano na urna. Mas uma pesquisa é insuficiente para saber se isso é uma tendência ou uma variação numérica sem significado”, opinou.
Nem Dilma nem Serra comentaram as pesquisas em suas contas no Twitter. Serra limitou-se a chamar os internautas para o debate de logo mais na Record. “@joseserra_ Às 23hs participo do debate da Record. Levo comigo a energia e muitas das ideias que recebo aqui de vocês. Muito obrigado!”.
A pesquisa Vox Populi foi realizada entre os dias 23 e 24 de outubro e ouviu 3.000 eleitores em 214 municípios do País. A margem de erro é de 1,8 ponto porcentual para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo número 37.059/2010.
Questionamento – O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), questionou a última pesquisa do instituto Vox Populi, divulgada no dia 19 de outubro. Para o senador, o instituto vinha errando suas previsões desde o primeiro turno. “É sem vergonha. O Vox Populi não acertou nada. Enganou os brasileiros. Procurou interferir na vontade deles. Se ficarmos calados diante de fatos como esses, quero dizer a vocês que a nossa democracia não está bem protegida”, acrescentou o dirigente.
O presidente do PSDB também não poupou de críticas o dirigente do Vox Populi, Marcos Coimbra. “A gente vai ganhar esta eleição. O Marcos Coimbra não vai eleger o presidente da República. Ele não é o povo, quem vai eleger o presidente da República é o povo brasileiro”, disse, apontando que o instituto também faz pesquisas sob encomenda para o PT.
No dia 22 de outubro, O ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acatou na o pedido impetrado pela coligação "O Brasil Pode Mais", de Serra, e concedeu o acesso a planilhas e relatórios da pesquisa Vox Populi do dia 19.
A decisão do ministro foi baseada na Resolução nº 23.190 do TSE, segundo a qual os partidos políticos podem ter acesso ao sistema interno de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados de empresas que divulgam pesquisas de intenção de voto.

*Com informações das agências Reuters e Estado

Assalto à estação de tratamento deixa três cidades baianas sem água

Um assalto à estação de tratamento de água da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) em Riachão do Jacuípe, a 189 quilômetros de Salvador, na madrugada dessa segunda-feira, 25, provocou a interrupção no fornecimento de água em três municípios da região, prejudicando quase 50 mil pessoas. Além de Riachão do Jacuípe, o problema afetou os municípios de Ichu e Candeal.
Dois bandidos, um deles portando uma espingarda de calibre 12, renderam o vigilante Orlean Oliveira, que ficou trancado em uma cômodo até as 6h da manhã, quando chegou um colega para a troca de turno. Os bandidos levaram dois motores elétricos, cinco transformadores, acessórios do quadro de comando (o que provocou o corte no fornecimento da água), além objetos pessoais de funcionários.
A polícia esteve no local e investiga o caso. Técnicos da Embasa não estipularam prazo para substituir os equipamentos roubados e enquanto isso a população vai precisar pegar água nos riachos da região

Que erro grosseiro: quem foi o culpado para abrir os portões do estádio de Serrinha e perder o mando de campo?


Que absurdo! O prefeito de Serrinha, Osni Cardoso, manda abrir os portões do estádio Mariano Santana, neste domingo (24), no jogo entre Serrinha x Feira de Santana.
Sem observar o que diz o Estatuto do Torcedor e tomando atitudes para peitar a Liga Desportiva Serrinhense, o gestor municipal mandou abrir os portões para o torcedor e a seleção serrinhense perde o próximo mando de campo.
Em virtude das eleições presidenciais, segundo turno, a rodada de ida da terceira fase vai acontecer neste sábado e Serrinha joga em Valença contra a seleção local.
No domingo seguinte, dia 7, Serrinha recebe Valença, não no estádio Marianão, mas sim, no José Brígido, em Araci.
A imprensa esportiva e a torcida serrinhense não estão nada satisfeitos com estes erros, pois o esporte está acima de qualquer picuinha política e espera que seja dado um basta nesta situação.
Boatos na cidade dão conta que o prefeito e seu grupo são a favor de destituir o presidente da liga do cargo, porém o estatuto da entidade assegura Neto Trabuco no cargo até o fim do seu mandato, a menos que se comprove alguma irregularidade cometida por ele.
Isto poderia ter sido evitado se as pessoas tivessem se empenhado mais no período da eleição da liga e lançassem outro nome, porém a imprensa sabia que isto tinha a possibilidade de acontecer e comprou a briga, mas os petistas cruzaram os braços.
Porém, segundo o Coordenador de Esportes do município, Eguiberto Matos, o que foi dito por Neto Trabuco na rádio Regional AM deixa dúvidas no tocante à perda do mando de campo, pois para isto acontecer, a seleção serrinhense primeiro terá que ser julgada.
O corpo jurídico da prefeitura já foi acionado para cuidar do caso e prestar os devido esclarecimentos devido à abertura dos portões.

Por Cival Anjos - de Serrinha

Tarcízio diz que estão tentando colocá-lo em posição de "desorientado" no cenário político


O prefeito Tarcízio Pimenta emitiu, nesta segunda-feira (25) mais uma nota pública acerca de sua opção pela candidatura do tucano José Serra, no segundo turno das eleições presidenciais. Os novos esclarecimentos foram feitos em razão de um artigo do jornalista Glauco Wanderley, no site www.diabahia.com.br. Segundo o prefeito, entendimentos mantidos com os governos Estadual e Federal “têm por finalidade conseguir melhorias para o município, sem nenhum compromisso de contrapartida político-partidária”. “Tarcízio Pimenta considera que estão tentando inverter a lógica da política-partidária no atual contexto, querendo colocá-lo numa posição de indeciso ou desorientado no cenário político”, diz ainda a nota. A seguir, a íntegra do texto oficial.
Tarcízio: “Só não quero desagradar o povo”
“Não andei me insinuando para ninguém, nem fiz compromisso político que fugisse à coerência com que tenho me pautado. Quem se iludiu com especulações ou confundiu postura administrativa com postura político-partidária cometeu um equívoco muito grande”. A declaração é do prefeito Tarcízio Pimenta, contrapondo opiniões emitidas pelo jornalista Galuco Wanderley, publicadas em artigo intitulado Tarcízio: Desagrando a Gregos e Troianos.
O prefeito de Feira de Santana volta a frisar que os entendimentos mantidos com o Governo Estadual e com o Governo Federal têm por finalidade conseguir melhorias para o município, sem nenhum compromisso de contrapartida político-partidária. Ele acrescenta que essas alianças administrativas têm tido total transparência, pois são marcadas com eventos públicos e, principalmente, com a presença da imprensa.
“Nunca firmei nenhum compromisso político-partidário em troca de benefícios para Feira de Santana. Recebi o governador Jacques Wagner e o ex-ministro Geddel Vieira Lima na prefeitura, em eventos eminentemente administrativos, para anunciar a liberação de recursos e como eles seriam empregados no município. Se alguém não está satisfeito com isso, ou confundiu a minha postura, deve entender, de uma vez por todas, que agi assim e continuarei agindo sempre que houver benefícios para Feira”, salienta.
Tarcízio Pimenta considera que estão tentando inverter a lógica da política-partidária no atual contexto, querendo colocá-lo numa posição de indeciso ou desorientado no cenário político.
“Eu sou o prefeito da segunda maior cidade da Bahia, que também vem a ser o segundo maior colégio eleitoral do estado. Estou administrando o município sem maiores dificuldades e mantendo a coerência na minha postura político-partidária. Não tenho necessidade de cortejar ninguém e tanto o governador Jacques Wagner quanto o ex-ministro Geddel Vieira sempre respeitaram esse meu comportamento em prol do povo de Feira de Santana”, destaca.
O prefeito lembra que nesta segunda-feira, por exemplo, está assinando mais um convênio o com o Governo Federal, com o Ministério do Turismo, para obras na praça Monsenhor Renato Galvão (praça da Matriz), fruto de uma emenda parlamentar do senador César Borges. Além disso, Tarcízio Pimenta esteve na entrega de novas unidades do Minha Casa, Minha Vida, programa que também conta com o apoio da prefeitura com a concessão de incentivos fiscais.

FONTE:www.tribunafeirense.com.br jornalista valdomiro silva(foto)

Vertinho disse que irá se afastar de política e votar em branco para presidente


Depois que deixou a dministração municipal em janeiro de 2009, o ex-prefeito do município de Conceição do Coité, Everton Rios d’ Araújo, andou ensaiando uma candidatura a deputado estadual e chegou a trocar o PP, que ajudou a fundar e por onde foi eleito duas vezes para prefeito, pelo PR, que tinha Misael Ferreira como presidente, sendo o mesmo, de “forma amigável”, obrigado a ceder a direção para o médico Antonio Nunes Gordiano, “Tonho”, seu primo e ex-secretário de saúde, Vertinho foi visto pela primeira vez em ambiente público, onde conversou com equipe do CN sobre política.
Ele estava acompanhado da esposa e Secretário de Educação, Genilda Ramos em um restaurante da cidade, que afirmou que não será candidato a nenhum cargo eletivo em 2012. “Vou colocar adesivo do candidato do grupo em meu carro, porém não irei acompanhar os eventos de campanha. Quero ser amigo e conversar com todos, conforme fiz este ano”, desabafou.
Vertinho disse que votou em branco para deputado estadual e federal. Votou em José Ronaldo e César Borges, para o Senado, Paulo Souto, para governador e Marina Silva para presidente. “Agora eu devo votar em branco. Não gosto daqueles que não prestigiam amigos e Serra desprestigiou Fernando Henrique, e Dilma, considero despreparada. Enfim, estamos com dois candidatos ruins e devo votar em branco”, falou.
A professora Genilda Mota, ouvindo a conversa, confirmou que esta posição do marido é pública e eles têm conversado muito sobre este assunto dentro de casa, apesar de está decida a votar em Serra. Questionada sobre a orientação do prefeito Renato Souza aos seus secretariados sobre a eleição de domingo, Genilda disse que ele nunca, pelo menos com ela, tratou deste assunto.
“Eu quero conversar com todos” – Vertinho falou ao CN que a eleição de 2010 foi a melhor de toda sua militância política, pois não pediu voto, saiu de casa para votar e depois viajou para Salvador, onde mora seus dois filhos. ”Hoje eu converso com André, Assis, Tom, Alex, ou seja, com toda sociedade, sem o ressentimento do lado político”, afirmou.
Para ele, a eleição de Tom foi uma surpresa, “pois se saísse de Coité com apenas 12 mil votos, não se elegia”, previa Vertinho. Sobre 2012, ele não quis arriscar se o grupo fará ou não o sucessor, apenas lamentou uma possível derrota por causa dos amigos que vivem e sobrevivem dos serviços da prefeitura, a exemplo dos donos de ônibus, representantes de povoados e outras funções, na maioria gente que caminhou com ele em todas as eleições que disputou. “É o que temo, por são todas pessoas boas e trabalhadoras”, lamentou.
Bastante descontraído, a equipe do CN perguntou se ele iria fazer como garantiu o presidente da Câmara Edvaldo Santiago, desfilar do PR depois do prazo de filiação para disputar a eleição de 2012. “Vou permanecer filiado a um partido, pois sou cidadão”, respondeu Vertinho.
César Borges não ficou satisfeito – Apesar de Vertinho ter dito ser amigo do senador César Borges, circula entre as pessoas ligadas a coligação liderada pelo PMDB, que Borges não ficou satisfeito com a posição do ex-prefeito, que apenas votou e não se esforçou pela sua reeleição.
Por: Valdemí de Assis/foto: Arquivo: Raimundo Mascarenhas

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), chegou ao Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (25) para intensificar a campanha de José Serra à Presidência. "A eleição não está decidida e nós estamos otimistas", enfatizou. "Nas últimas 48 horas, ganhamos quatro minutos de direito de resposta. Devemos ganhar mais um ou dois minutos nos próximos dias", destacou ao comentar as ofensas infundadas feitas ao candidato tucano durante os programas de rádio e televisão, como privatização. “Isso é uma discussão sem base. Esse tema é o PT querendo fazer a coisa do medo”, disse o tucano, que também foi vítima em 2002. Este é o quinto estado visitado por Alckmin neste segundo turno. Ele já passou pelo Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Em Porto Alegre, o governador defendeu mudanças na economia do país, que atualmente prejudica estados exportadores como o Rio Grande do Sul e São Paulo. "Temos uma política fiscal frouxa e uma política monetária equivocada", comentou. Questionado sobre o plano de governo do candidato tucano, que prevê aumento no salário mínimo, elevando-o para R$ 600,00, e reajuste de 10% para os aposentados, ele foi enfático: "está na hora de fazermos justiça social, o Serra já provou sua eficiência como gestor". Depois, o tucano seguiu para Santa Maria, onde se reuniu com o prefeito Cézar Schirmer (PMDB) e participou de ato pró-Serra. Informações do Zero Hora.

xxxxxxxxxxxxxxx
Duas mulheres roubaram um bebê neste domingo (24) dentro de uma maternidade em Ilhéus. A polícia do sul da Bahia procura as duas acusadas, que se passaram por enfermeiras, e pegaram a criança no colo da avó. A mãe, Luziene Gonçalves, 16, estava sendo atendida no momento da ação. Ela só soube do roubo depois que perguntou às enfermeiras do hospital pela criança. Além da polícia, o próprio hospital investiga o caso. Com informações do A Tarde Online.

xxxxxxxxxxxx

O agricultor aposentado Antônio Gonçalves da Silva, de 67 anos, foi assassinado em sua propriedade rural em Capim Grosso, centro norte baiano, na madrugada de sábado (23). Antes de morrer, entretanto, o homem contou como foi a ação dos dois bandidos, que invadiram sua propriedade, roubaram R$ 150, um par de sapatos e um relógio de pulso, e depois o golpearam com um porrete na cabeça, após serem reconhecidos pela vítima. Antônio foi encontrado por um de seus irmãos na varanda de sua propriedade bastante machucado. De acordo com o site Interior da Bahia, o latrocínio (assalto seguido de morte) ocorreu próximo ao distrito de Piabas, a 3 km da sede do município. O corpo do agricultor foi necropsiado no IML de Jacobina e liberado às 10h30 de domingo (24). A polícia está realizando investigações para localizar os autores do crime.

xxxxxxxxxxxxx

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) pelo menos 220 cidades do país podem terminar este ano com menos 10% da população em relação a 2009, conforme dados do Censo 2010. Na Bahia, os municípios que apresentaram maior redução populacional foram Catolândia, Lamarão, Maracás e Belmonte, com pelo menos 30% de queda. O instituto estima que em pelo menos cem municípios haja variação positiva. A grande preocupação é dos prefeitos, com o repasse da União, que são proporcionais ao número de habitantes. Anualmente o IBGE repassa ao Tribunal de Contas da União (TCU) o número de moradores das cidades, já nos anos em que não tem o Censo, são enviadas estimativas.

xxxxxxxxxxxxxxx

Nesta quarta-feira (27), o Supremo Tribunal Federal (STF) começa a julgar a validade da Lei da Ficha Limpa para a eleição deste ano. Caso o veredicto seja pela legalidade das novas regras, quatro deputados eleitos baianos perderão seus mandatos. São eles Carlos Brasileiro (PT), Maria Luiza Laudano (PTdoB), na Assembleia Legislativa; e Geraldo Simões (PT) e Jânio Natal (PRP) na Câmara Federal. Como o voto destes seriam considerados nulos, o calculo das coligações seriam alterados. Na AL, além do próprio Brasileiro, outro petista iria para a degola: Yulo Oiticica, já que, sem os votos dos fichas sujas, a coligação PT – PDT-PP e PRV perderia duas cadeiras. No lugar deles entrariam Capitão Tadeu (PSB) e Wenceslau Augusto (PCdoB). No lugar de Laudano, entraria Jurandy Oliveira (PRP). Já nas vagas baianas no Congresso, não haveria mudança no tamanho das bancadas por coligação. No lugar de Simões seria o boxeador Acelino Popó Freitas (PRB) e, no lugar de Natal, Pastor Luciano (PMN). Informações do Correio.

Spock de "Jornada nas Estrelas" passa por cirurgia nos Estados Unidos


Leonard Nimoy, 79, mais conhecido pelo papel de Spock na ficção científica "Jornada nas Estrelas", teve de se submeter a uma cirurgia no estômago nos Estados Unidos, segundo informou um representante dele ao site TMZ.
Ainda de acordo com a fonte, o ator passa bem e está se recuperando.
Ele classificou a cirurgia como "uma cirurgia abdominal simples e benigna".
Por causa da cirurgia, Nimoy teve de faltar a um compromisso no Museu de Arte Contemporânea de Massachusetts no domingo.
A última aparição do ator na televisão foi como o doutor William Bell, do seriado "Fringe".
No cinema, ele está escalado para a primeira parte do filme "O Hobbit", previsto para estrear em 2012.

Lenda do reggae, Gregory Isaacs morre aos 59 anos


O músico jamaicano Gregory Isaacs morreu nesta segunda-feira, em Londres, na Inglaterra, aos 59 anos. A notícia foi confirmada pelo empresário de Isaacs, que era uma das maiores lendas do reggae, ao site Entertainment Weekly.
De acordo com o empresário, ele tinha um tumor que se espalhou para outras áreas de seu corpo. O último show da vida de Isaacs aconteceu no festival Big Chill, em Londres.
Isaacs se tornou uma das maiores estrelas do reggae entre 1970 e 1980, com hits como "Night Nurse" e "Rumours".

Em depoimento, Erenice contraria versão da Casa Civil e admite encontro com consultor


A ex-ministra Casa Civil, Erenice Guerra, recuou e admitiu nesta segunda-feira que se encontrou nas dependências da Presidência da República com empresários da companhia de energia solar EDRB, que procuraram o filho dela para viabilizar contratos com o governo.
A Folha teve acesso ao depoimento prestado na manhã desta segunda-feira à Polícia. Em mais de cem perguntas, Erenice sustentou a tese que não sabia que o filho Israel tinha a empresa Capital Consultoria, que cobrava "taxa de sucesso" para conseguir contratos com o governo federal
Um dos casos investigados pela PF é a negociação com a EDRB, que tem como consultor Rubnei Quícoli. Ele afirma que, após a reunião com Erenice, Israel e o sócio, Vinícius de Oliveira Castro, passaram a cobrar dinheiro para viabilizar o financiamento do BNDES.
Quando era ministra, Erenice negou que se encontrou com Quícoli. À PF, admitiu a reunião.
"Através de levantamentos pelo assessor Vladimir [Muskathirovic] soube que a reunião foi em 10/11/2009. Que a mesma foi presidida por Vladmir. Que foi informada por Vladmir, a declarante participou da reunião por alguns minutos, salvo engano entre 20 e 30 minutos", disse Erenice.
A versão dada à PF contraria o que a Casa Civil, quando Erenice era ministra, afirmou em setembro. Disse que apenas o assessor participou da reunião. Essa versão é sustentada pelo governo até hoje.
O depoimento prestado à PF desmente que a própria Erenice já disse sobre o caso. Em entrevista à revista "Istoé", ela disse que não se encontrou com Quícoli. "Nunca recebi. Ele foi recebido na Casa Civil pelo meu assessor", afirmou.
Braço direito da presidenciável petista Dilma Rousseff, Erenice era secretária-executiva da candidata quando recebeu no Planalto empresários que negociavam contrato com a empresa de lobby dos filhos dela e de assessores da Casa Civil. Após a Folha publicar a informação, ela pediu demissão.
DEFESA
"Houve um encontro oficial, marcado pela assessoria dela. Foi uma reunião de uma hora e quinze minutos, na qual ela participou por 30 minutos. Foi uma conversa rigorosamente técnica", disse o advogado de Erenice, Mário de Oliveira Filho.
A defesa afirmou que, na reunião, Erenice deu "os encaminhamentos devidos" para a proposta de Quícoli. Segundo o consultor, depois do encontro com Erenice, a proposta da EDRB foi encaminhada para a estatal responsável por energia solar no Nordeste.
Nesse mesmo período, Quícoli afirmou que a empresa de Israel passou a cobrar para viabilizar o financiamento do BNDES. A defesa de Erenice não comentou sobre as conversas de consultores com pessoas ligadas a Israel Guerra. Diz apenas que não tinha o consentimento da ex-ministra.
"Ela nunca autorizou ninguém, nem filho, a falar em nome dela para gerenciar qualquer negócio", afirmou o advogado.
Segundo a defesa, ela respondeu a todos os questionamentos na condição de testemunha. Os advogados de Erenice afirmam ainda que a ex-ministra nunca atuou para beneficiar qualquer parente no governo.
De acordo com os advogados, os amigos de Israel Guerra que trabalhavam no governo foram contratados por questões técnicas.Erenice foi intimada pela polícia para explicar a atuação de Israel como lobista dentro do governo e a suspeita de tráfico de influência. A seis dias da eleição, a ex-ministra tentou duas vezes adiar o depoimento.
Braço direito da presidenciável petista Dilma Rousseff, Erenice era secretária-executiva da candidata quando recebeu no Planalto empresários que negociavam contrato com a empresa de lobby dos filhos dela e de assessores da Casa Civil. Após a Folha publicar a informação, ela pediu demissão.
O caso Erenice foi um dos motivos que levou a eleição para o segundo turno, segundo pesquisa Datafolha.
RECEITAGATE
Envolvido em outro caso, o jornalista Amaury Ribeiro Jr, que encomendou informações fiscais sobre familiares e pessoas ligadas ao presidenciável José Serra (PSDB), presta depoimento hoje no mesmo local.
Ribeiro Jr. admite ter pedido dados dessas pessoas, mas nega ter solicitado acesso a documentos sigilosos.
Todos os alvos do jornalista tiveram seus dados violados em duas agências da Receita Federal em São Paulo.
O despachante Dirceu Rodrigues Garcia declarou à polícia que o jornalista o contratou para obter informações fiscais sigilosas de familiares e aliados de Serra. Essas informações foram parar num dossiê que circulou na pré-campanha petista.
Garcia afirma ter recebido de Ribeiro Jr. R$ 12 mil em dinheiro em outubro de 2009. No mês passado, alega ter recebido mais R$ 5.000.
No último depoimento que concedeu à PF, o jornalista não esclareceu se recebeu ou não orientação para investigar tucanos. Ele apenas afirmou que iniciou a apuração porque soube que uma equipe liderada pelo deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ), ligado a Serra, estaria reunindo munição contra o ex-governador Aécio Neves.
Nessa época, Aécio e Serra disputavam a indicação do partido para concorrer à Presidência da República.
No último depoimento, Ribeiro Jr. atribuiu a uma ala do PT o vazamento do dados que coletou. Segundo ele, um setor do partido disputava o controle de contratos da área de comunicação.
O PT nega que a ordem para encomendar a quebra de sigilo tenha sido dada pela campanha, assim como refuta ter operado qualquer dossiê para atacar o adversário.
Embora o jornalista tenha negado que trabalhou para a campanha petista, ele participou de ao menos uma reunião da "equipe de inteligência" em 20 de abril deste ano, num restaurante de Brasília.

Advogado apresenta defesa de Tiririca sobre alfabetização; juiz decreta sigilo


No último dia do prazo, o advogado Ricardo Porto apresentou nesta segunda-feira (25) a defesa do deputado federal eleito Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR), no processo em que é acusado de falsificar sua declaração de alfabetização no registro de candidatura. Tiririca foi o deputado mais votado do país nas eleições 2010.
A defesa foi entregue no cartório da 1ª Zona Eleitoral, onde corre a ação penal. “Ficará provado que ele não é analfabeto”, disse Porto ao UOL Notícias. Segundo o advogado, que afirmou não poder mais comentar sobre o processo em razão do sigilo, o segredo foi solicitado pela própria defesa “para preservar o conteúdo de documentos e laudos que foram juntados que revelam aspectos do deputado”.
Porto reuniu-se com o juiz Aloísio Sérgio Rezende Silveira nesta tarde. Após o encontro, o juiz decretou segredo de justiça no processo.
Segundo o juiz, a ação penal não impede a diplomação de Tiririca. “Somente uma eventual condenação transitada em julgado [quando não há mais possibilidade de recurso] poderá vir a afetar seu mandato”, afirmou.
Se, antes da diplomação, não houver decisão definitiva no caso, o candidato passa a ter foro privilegiado e o processo é encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal).
A denúncia na falsidade do documento foi recebida como complementação a outra, de 22 de setembro, que apura possível omissão da declaração de bens no mesmo pedido de registro.
Oferecida pelo Ministério Público Eleitoral, a denúncia tem como base no artigo 350 do Código Eleitoral, que prevê pena de até cinco anos de reclusão e o pagamento de multa por declaração falsa ou diversa da que deveria ser escrita para fins eleitorais em documento público.

sábado, 23 de outubro de 2010

Prefeitura promove Exposição de trabalhos realizados pelas crianças e adolescentes do PETI


As crianças e adolescentes -que fazem parte do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)- apresentam seus talentos na I EXPORPETI de Serrinha, que será realizada nos dias 28 e 29 de outubro, na Praça Morena Bela.
A Exposição será um momento de valorização da diversidade cultural e socialização dos trabalhos construídos pelos beneficiários do PETI. Artesanato, teatro, stands, brincadeiras, reisado, samba de roda, bumba-meu-boi e muita animação fazem parte da programação.
A abertura do evento será no dia 28 de outubro, às 14h e contará com a presença de diversas autoridades do município. Em seguida, será apresentado um vídeo com histórico do PETI em Serrinha e Palestra sobre “ As diversas formas de violência”. A partir das 18h, iniciam as apresentações culturais.
No dia 29 de outubro, durante todo o dia serão promovidas oficinas, pau-de-fita, visita aos stands, apresentação cultural dos Educadores Sociais do PETI e muito mais. O enecerramento ficará por conta do samba de roda do Grupo Cultural Pavão Dourado.

Doutor, e o Juiz também vota? – Gerivaldo Neiva

JUIZ GERIVALDO NEIVA(COITÉ)
Depois de resolver os problemas normais do início de uma eleição, fui votar em minha seção eleitoral (1º turno) e ao cumprimentar as pessoas que estavam no local, uma delas me perguntou com espanto: “Doutor, e o Juiz também vota?” Expliquei à pessoa que o Juiz também é eleitor e que, além de ser obrigatório o voto, o Juiz também tem responsabilidades com a democracia e com o futuro do país.
Votei com muita alegria. Verdade. Sinto uma alegria enorme quando vejo a fotografia de meu (minha) candidato(a) na urna eletrônica e aperto a tecla verde. É uma sensação de poder e responsabilidade. Neste momento, esqueço por alguns segundos que sou Juiz de Direito e me sinto apenas como eleitor e cidadão brasileiro. Pena que votamos tão pouco. Na democracia representativa, na verdade, apenas delegamos poderes àqueles que escolhemos como representantes. Em uma democracia com participação mais direta, votaríamos muito mais e talvez o povo fosse mais feliz.
Pois bem, chegando ao fórum fiquei pensando na pessoa que me perguntou sobre o voto e na curiosidade natural que demonstrou em saber em quem votaria o Juiz. No momento, desconversei e disse que o voto era secreto. Na verdade, o artigo 95, parágrafo único, da Constituição Federal, proíbe a todos os juízes “dedicar-se à atividade político-partidária”. Esta proibição, no entanto, não impede e nem tem como impedir a vinculação do Juiz com uma concepção de mundo, com uma ideologia adotada por um determinado partido ou por uma filosofia política.
É esta concepção que o Juiz tem do processo histórico e político, portanto, que define seu voto. Mesmo que não tenha consciência disso, é sua formação (conceitos e pré-conceitos), seu “lugar no mundo” e seu “horizonte histórico” que lhe servem de parâmetro para a vida e para suas decisões. Portanto, não existe Juiz neutro diante de uma eleição para escolher governantes. Ele sempre terá um lado, mesmo que insista na tese da neutralidade. Aliás, ao insistir nesta tese, mesmo sem saber, está preferindo não se posicionar diante do mundo, ou seja, prefere que tudo fique como está. Este, portanto, é o seu lado.
Não se confunda, por favor, neutralidade com o comportamento garantidor de um processo eleitoral que respeite os direitos fundamentais, principalmente a liberdade de opinião e igualdade de oportunidades na propaganda eleitoral. São condutas absolutamente diversas. Nesta compreensão, a imparcialidade do Juiz significa garantir os direitos fundamentais das partes. Cumprir a Constituição, isso é o bastante. Aliás, como diz um professor aqui da Bahia, “neutro é marca de sabão”.
Voltando ao começo, eu, de minha vez, nasci no interior da Bahia no ano de 1962 e tudo que me lembro dos primeiros anos de resistência à ditadura militar eram as recomendações dos pais e professores contra um perigoso “terrorista” que rondava o sertão da Bahia no início dos anos 70. Anos mais tarde, fui saber que se tratava de Carlos Lamarca. Já adulto, estive no local em que Lamarca ficou acampado com Zequinha, no povoado de Buriti Cristalino, em Brotas de Macaúbas-Ba. Não consegui entender o que fazia Lamarca entre aquelas serras, garimpos de cristal e caatingas… Depois, em Salvador, silenciosamente, passei alguns minutos em frente ao edifício, na Rua Minas Gerais, no bairro da Pituba, onde Iara, companheira de Lamarca, teria cometido o suicídio. Não sei descrever a sensação de estar nesses lugares…
Em Salvador, no final dos anos 70, participei de movimento estudantil, da luta pela anistia e do congresso de refundação da UNE, em 1979. O movimento estudantil, o ME (eme é) como chamávamos o movimento, foi uma grande escola. Como era excitante ler textos clandestinos e rotular os colegas de “stalinistas”, “leninistas” ou “trotskistas”. Éramos todos “marxistas”, com certeza, mas talvez Marx não fosse tão “marxista” como alguns de nós naquela época.
Na faculdade de Sociologia, da UFBa, conheci professores “marxistas” de várias linhas, kantianos, neo-kantianos e outros que rotulávamos apenas de “reaças”. Na faculdade de Direito, da UCSal, conheci apenas professores dogmáticos, ortodoxos e extremamente positivistas. Verdadeiros “reaças”. Fugiam de Marx como o diabo da cruz. Camiseta com a estampa de Guevara? Nem pensar.
Depois, veio a campanha das “diretas já”, a eleição de Tancredo, o impeachment de Collor, o neoliberalismo de FHC e a não menos neoliberal “era Lula”. Os eleitores de primeiro voto, agora aos 16 anos, eram crianças nessa época recente de nossa história. Muitos não sabem, não por culpa deles, que desfrutam hoje da liberdade porque muitos lutaram e morreram por isso. A redemocratização do país não foi uma dádiva dos militares, mas uma conquista do povo brasileiro.
Em 1983, quando ainda era estudante de Direito e integrava a Associação dos Advogados dos Trabalhadores Rurais (AATR-Ba.), participei do congresso de fundação da CUT – Central Única dos Trabalhadores, como “associação pré-sindical”, em São Bernardo do Campo (SP), no pavilhão da antiga Companhia Cinematográfica Vera Cruz. Este foi um grande momento da luta da classe trabalhadora brasileira e eu me orgulho muito de ter participado. Era agosto e fazia frio nas madrugadas de São Bernardo do Campo, mas depois de algumas doses de 51 e discussões acaloradas, o frio deixava de incomodar a nós nordestinos acostumados com sol e calor.
Saí da faculdade de Direito em 1984 (o curso de Sociologia ficou pelo caminho) e advoguei por seis anos antes de ingressar na magistratura. Minha advocacia, como resultado do engajamento político durante o curso de Direito, foi quase sempre para os movimentos sociais e sindicatos de trabalhadores rurais e urbanos.
Ingressei na magistratura da Bahia em 1990, por mérito e muito estudo, e não tenho o que reclamar da vida, da profissão e da estabilidade financeira que adquiri depois de quase 30 anos de trabalho. Não estou cansado e não perdi a esperança. Continuo trabalhando e estudando e sempre com muito prazer. Não tenho a menor dúvida de que faria tudo outra vez.
Voltando ao começo mais uma vez, desde quando descobri que Lamarca não comia criancinhas no interior da Bahia, mas que lutava por um país melhor para todos os brasileiros, decidi que deveria também perseguir este sonho. Portanto, minha advocacia e minha atuação na magistratura sempre se pautaram por este norte, ou seja, sempre pensei mais nos outros, na liberdade e em um mundo mais justo e fraterno.
Portanto, esta história e esta forma de ver o mundo definem meu voto. Outras histórias de vida e outras formas de ver o mundo, sem dúvidas, definem o voto de outros juízes. Não se trata agora, como fazíamos antigamente nas acaloradas discussões do movimento estudantil, de rotular colegas de “certos” e “errados”, “marxistas” e “reaças”, mas de defender que não existem juízes neutros e que todos votam de acordo com sua própria história e sua forma de compreender e interpretar o mundo.
Por tudo isso, não penso em mim na hora de votar. Penso apenas nos milhões de excluídos e marginalizados desse país. Penso em um país sem fome e sem miseráveis. Penso na liberdade,Penso na justiça.

FONTE:CALILA NOTICIAS