NOVA RÁDIO CLUBE SERRINHA 24 HORAS NO AR

RADIOS NET:MELHOR PLATAFORMA DE RÁDIOS

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS: "Essa é a lei a respeito do ciúme, caso uma mulher se desencaminhe e se torne impura enquanto estiver sujeita à autoridade do seu marido, ou caso um homem fique com ciúme e suspeite que sua esposa tenha sido infiel. Ele deve fazer sua esposa ficar perante Jeová, e o sacerdote terá de cumprir toda essa lei no caso dela.O homem ficará livre de culpa, mas sua esposa responderá pela sua culpa".Números 5:1-31

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

O chefe do Executivo disse que não tem motivo para trocar a indicação para a vaga no Supremo

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que a demora do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), para marcar a sabatina de André Mendonça no Senado é uma "tortura". A fala de Bolsonaro foi durante entrevista à rádio Jovem Pan, nesta terça-feira (12).

O chefe do Executivo disse que não tem motivo para trocar a indicação para a vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), deixada por Marco Aurélio Mello. "Eu não tenho motivo para mudar o André Mendonça. É uma pessoa evangélica, é um compromisso meu, e tem uma bagagem jurídica enorme. Há um interesse por parte de alguns senadores de botar um nome que seja mais simpático a eles. Eu espero que não aconteça", disse Bolsonaro.

"O que Davi Alcolumbre faz, no meu entender, não é justo. Ele tem que botar em votação. Se não passar, paciência, a gente vai ver outro nome. O que ele faz é uma verdadeira tortura contra um chefe de família”, acrescentou.

O presidente disse, ainda, que os evangélicos querem Mendonça como ministro do Supremo. "O André Mendonça, e eu já conversei com ele, vai ser contra o marco temporal, vai ser contra as pautas progressistas, vai defender a família lá dentro. As pautas econômicas ele estará perfeitamente alinhado conosco. Um voto lá faz diferença, e nós precisamos desse voto lá para o bem do Brasil", finalizou Bolsonaro.

No último domingo (10), Bolsonaro já havia criticado o senador por ainda não ter pautado a sabatina do ex-advogado-geral da União no Senado.