OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET  MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS:"Será que alguma nação já trocou os seus deuses por outros que não são deuses? Mas o meu próprio povo trocou a minha glória por aquilo que é inútil.Olhem espantados para isso, ó céus;Tremam, tomados de horror’, diz Jeová, ‘Pois o meu povo fez duas coisas más: Abandonaram a mim, a fonte de água viva,e cavaram cisternas,cisternas rachadas, que não podem reter água." Jeremias 2:1-37

quinta-feira, 1 de julho de 2021

Deputado insinua que irmão gravou Bolsonaro e diz que 'faria isso' se estivesse no lugar

Um dos responsáveis por denunciar que o governo federal sabia das suspeitas de corrupção no contrato da vacina Covaxin, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) diz que não gravou seu encontro com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele afirmou ter alertado pessoalmente o presidente, ouvindo em resposta que o culpado seria o líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros.

No entanto, ele deixou no ar a possibilidade de seu irmão Luis Ricardo Miranda, o servidor do Ministério da Saúde que relata ter sofrido pressão atípica para aprovar o contrato, ter gravado. "Eu não estava sozinho na sala", disse. "Estava com meu irmão. E não posso impedir que a pessoa ameaçada grave", argumentou o parlamentar, acrescentando o que faria no lugar: "Se fosse eu, gravaria".

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, a cúpula da Câmara, que é alinhada ao governo, ameaça levar o deputado ao Conselho de Ética caso seja confirmado que ele gravou a conversa com Bolsonaro. Na terça-feira (29), por exemplo, o deputado Daniel Silveira foi afastado do cargo por dois meses por ter gravado uma reunião de seu próprio partido, o PSL.