OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS:"O que seus antepassados viram de errado em mim para que se afastassem tanto de mim,e seguissem ídolos sem valor, e se tornassem eles mesmos sem valor? Os que lidam com a Lei não me conheceram,os pastores se rebelaram contra mim,os profetas profetizaram em nome de Baal e foram atrás daqueles que não podem ajudar ninguém. Por isso continuarei a fazer acusações contra vocês diz Jeová,E farei acusações contra os filhos dos seus filhos". Jeremias 2:1-37

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Quatro estados podem estar passando por segunda onda da Covid-19, alerta Fiocruz


Um levantamento feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) indica que os números de internação de pacientes com insuficiência respiratória grave voltaram a subir de forma preocupante em estados que vinham registrando uma queda consistente. A informação é da coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

De acordo com os pesquisadores, Amapá, Maranhão, Ceará e o Rio de Janeiro dão sinais do que pode ser o início da chamada segunda onda da Covid-19 em seus territórios. O Amapá registrou o pico de internações entre 3 e 9 de maio que foram 65 casos naquela semana. Houve queda de 46% e o estado chegou a 35 casos. Agora, voltou a subir, para 59.

No caso do Maranhão, foram 378 casos na semana de pico, número que caiu para 150. Agora voltou a subir, para 167 internações. Já no Ceará, os números passaram de 2.048 casos para 813, e registrou 871 na semana passada. No Rio de Janeiro, houve 2.844 internações em sua pior semana, baixou 60%, para 1.154 e voltou a 1.367 entre 12 e 18 de julho.

O sistema da Fiocruz, em parceria com o Ministério da Saúde, monitora os dados da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil. Ela pode ser causada por vários vírus. Em meio à epidemia, no entanto, 96,7% dos casos confirmados de internação são de Covid-19.