OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET  MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS:"Não ore pelo bem desse povo.Quando eles jejuam, não escuto as suas súplicas;E, quando fazem ofertas queimadas e ofertas de cereais, não me agrado delas,pois vou acabar com eles por meio da espada, da fome e da peste". Jeremias 14:1-22

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Pesquisa aponta que governo Bolsonaro mantém aprovação estável em 40%


O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) conta com 40% de aprovação e 47% de desaprovação. É o que aponta pesquisa realizada pelo DataPoder 360, do site poder 360º, e divulgada nesta quinta-feira (9).

Os números se mantiveram estáveis, considerando a margem de erro de 2 pontos percentuais. Há 15 dias, segundo o último levantamento realizado pela publicação, 41% aprovavam a administração federal e 49% desaprovavam.

O novo estudo do DataPoder360 começou a ser realizado na última segunda-feira (6) - dia em que o presidente revelou ter sintomas da covid-19 – e seguiu até esta quarta-feira (8). Assim, o levantamento já avalia possível efeitos do anúncio de que o presidente testou positivo para o novo coronavírus .

A pesquisa indica que o episódio da nomeação de Carlos Alberto Decotelli para o ministério da Educação não teve impacto sobre o governo nos últimos 15 dias, e que existe uma leve tendência de redução da rejeição ao presidente.

Há 30 dias, a desaprovação ao governo era de 50%. Na pesquisa divulgada nesta manhã, a taxa dos que dizem não saber se aprovam ou desaprovam foi de 10% a 13%. Quando se leva em conta o rendimento dos entrevistados, a taxa de aprovação mais alta é no grupo dos desempregados e sem renda fixa, 49% – justamente quem recebe o auxílio emergencial.

Há 15 dias, a aprovação dentro desse grupo era de 44%. A alta de 4 pontos percentuais veio depois da prorrogação do benefício por mais 2 meses. A desaprovação é maior entre os que recebem de 5 a 10 salários mínimos - 69%. A pesquisa foi realizada por meio de ligações para celulares e telefones fixos.

Foram 2.500 entrevistas em 512 municípios nas 27 unidades da Federação.