OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL:FOTOS-JOSÉ RIBEIRO

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET  MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS: "Estou para trazer sobre este lugar uma calamidade que fará tinir os ouvidos de quem ouvir falar dela. Farei isso porque eles me abandonaram e tornaram este lugar irreconhecível.Nele estão oferecendo sacrifícios a outros deuses, que nem eles, nem os seus antepassados, nem os reis de Judá conheciam, e encheram este lugar com o sangue dos inocentes. Eles construíram os altos sagrados de Baal para queimar no fogo seus filhos como ofertas a Baal, algo que eu não havia ordenado nem falado e que jamais havia ocorrido no meu coração". Jeremias 19:1-15

terça-feira, 12 de maio de 2020

Coronavírus causou morte no Brasil em janeiro e infectados circularam no carnaval, aponta Fiocruz


A Covid-19 já circulava pelo Brasil em janeiro, mais de 20 dias antes do primeiro registro de caso confirmado no país, segundo um estudo liderado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado nesta segunda-feira (11).

O primeiro caso foi notificado na quarta-feira de cinzas, 26 de fevereiro. A vítima foi um homem que havia retornado de viagem à Itália. Segundo o estudo, o vírus já circulava pelo país na última semana de janeiro, quando houve um óbito causado pela doença.

O estudo utiliza uma metodologia estatística de inferência a partir dos registros de óbitos. Resultados apontam que o vírus circulava pelo país 40 dias antes das primeiras confirmações oficiais de transmissão comunitária, no dia 20 de março.
CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Segundo Gonzalo Bello, coordenador do estudo na Fiocruz, a descoberta foi feita através de uma metodologia estatística, atrelada a testagem retrospectiva de pacientes, que mirou vítimas fatais de uma Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que ainda não tinham sido diagnosticados no momento do óbito.

Isso significa que pessoas infectadas circularam entre blocos e camarotes pelo Brasil, sem saber que portavam o vírus. Segundo a Fiocruz, 10 óbitos pelo coronavírus já haviam acontecido durante o carnaval.