OS ENCANTOS DA ZONA RURAL

OS ENCANTOS DA ZONA RURAL

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

RÁDIO CLUBE SERRINHA .NET  MUSICA DE QUALIDADE 24 HORAS

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

ARENA SHOPPING SERRINHA.: O MAIS MODERNO CAMPO SOCIETY DA CIDADE

ARENA SHOPPING SERRINHA.: O MAIS MODERNO CAMPO SOCIETY DA CIDADE
ARENA SHOPPING SERRINHA. Muito boa a iniciativa de trazer mais uma opção de lazer para a nossa cidade, além de valorizar mais o local onde se encontra o referido empreendimento!!!!

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE

BEIJO FRIO:A MELHOR SORVETERIA DA BAHIA E O MELHOR SORVETE
Endereço: Av. Dep. Manoel Novaes, 670 - Centro, Serrinha - BA, 48700-000 Telefone: (75) 3261-1889

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.

A BIBLIA É A PALAVRA DO DEUS VIVO JEOVÁ.
DISSE JEOVÁ DEUS:"Visto que ele me ama, eu o livrarei. Eu o protegerei porque ele conhece o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei. Estarei com ele nos momentos de aflição. Eu o livrarei e glorificarei. Eu o saciarei com uma vida longa. Salmos 91:1-16

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Mulher que acusa Neymar diz que apanhou na bunda e que agressão começou porque ele queria transar sem camisinha


A modelo Najila Trindade Mendes de Souza, que acusou o atacante Neymar de estupro, falou pela primeira vez sobre o caso nesta quarta-feira, em entrevista ao SBT. E indicou que o jogador iniciou as agressões que teriam culminado em estupro por se negar a usar preservativo.

Najila, que tem depoimento marcado para esta quinta-feira, na 6ª Delegacia de Polícia da Mulher, em São Paulo, quebrou o silêncio antes de ser ouvida pelas autoridades e deu detalhes sobre os encontros com o jogador em um hotel em Paris. Segundo ela, o jogador pagou passagens e hotel para a mulher ir para a França.

- Fui vítima de estupro. Agressão juntamente com estupro - disse ao SBT.

De acordo com a modelo, durante a relação sexual, Neymar se recusou a usar preservativo e se irritou. Ainda segundo a mulher, foi quando começaram as agressões contra ela.

- Eu pedi pra ele colocar camisinha, ele não falou nada. Ele me virou, eu pedi pra ele parar, mas ele continuou batendo na minha bunda violentamente - completou Najila.

A mulher deu explicações sobre as alegações de seu primeiro advogado, de que no primeiro relato ela citou apenas agressões, e não estupro.

- Primeiro que ele não estava acreditando totalmente em mim, senti preconceito da parte dele. Ele disse que eu ia ter que cortar a unha, levar isso pra frente. Deu a entender que não fui estuprada, que eu dei porque eu quis. Vou falar da agressão porque eu tenho as provas. Que são as fotografias. Ele só acreditou em mim porque ele viu a foto que o próprio Neymar mandou pra mim.

Najila relatou que conheceu Neymar através de uma rede social. E que seu interesse era encontrar o jogador para ter relações sexuais.

- Conheci através do Instagram. Foram conversas normais. Não era nude meu. Mandei uma imagem que era um texto, ele respondeu e trocamos mensagens. Depois de um tempo ele pediu o WhatsApp e eu mandei. - explicou.

Para alcançar o objetivo, a jovem disse que teve a passagem paga por Neymar para viajar a Paris para encontrá-lo.


- Ele (pagou a passagem). Ele (pagou) do hotel. Conversei com ele como uma pessoa comum. Era um intuito sexual, desejo meu, ficou claro pra ele. Ele perguntou quando eu poderia ir, eu não podia por questão financeira e agenda no trabalho. Ele disse que podia resolver isso. Eu fui com a passagem. Levei dinheiro também. Viajei com o intuito de encontrar com ele. Era meu desejo ( ter uma relação sexual) - confirma.

A modelo começa então a narrar como foi o encontro com Neymar. E narra que o jogador demonstrou agressividade. E que se recusou a usar preservativo. A suposta vítima diz que pediu para o jogador parar a relação e ele se recusou.

- Ele me disse para eu passar no hotel antes de ir com ele para uma festa. Tinha um desejo de ficar com Neymar. Quando eu cheguei lá, ele estava agressivo, totalmente diferente do cara que conheci nas mensagens. Como eu tinha muita vontade de ficar com ele, falei vou tentar manejar. Começamos a trocar carícias, ficar, se beijar. Até aí tudo bem. Só que aí ele começou a me bater. Nos primeiros tudo certo. Mas depois falei, "para, tá doendo". Ele falou: "desculpas, linda". Depois perguntei se ele tinha trazido preservativo. Ele disse que não. Eu disse que então não aconteceria nada, que não poderíamos. Ele ficou calado. Ele me virou, cometeu o ato, eu pedi pra ele parar, e ele contiuava batendo na minha bunda violentamente. Eu falei "para, para, não, para. Falei tudo". Ele não se comunicava muito, só agia - conta.

Em seguida, Najila dá mais detalhes. Mas reforça que queria uma relçao consensual e que isso mudou com a ausência do preservativo.

- Estava preparada para uma relação consensual, mas não foi assim. A partir do momento que ele se tornou agressivo. Quando eu falei que não poderíamos fazer nada sem preservativos. Que continuariamos só com carícias. O silêncio me pareceu concordância, aí ele me virou e cometeu o ato. A partir do momento que ele me segurou violentamente me batendo, sem preservativo, ele estava me obrigando. Depois que eu levantei e fui ao banheiro, não acreditei, fiquei sem reação. Foi uma decepção. Fiquei em estado de choque. Depois ele levantou, foi para o banheiro e quando ele saiu por uma porta, eu saí por outra - narra a suposta vítima.

Em seguida, ela diz o motivo de ter voltado a fazer contato com Neymar.

- Porque primeiro tive que assimilar tudo. Todo o acontecimento. Quando ele saiu do quarto, eu comecei a entender tudo que tinha acontecido. E como ele foi estúpido, ruim, me violou, me violentou, eu quis fazer justiça. Não acho que só porque eu estava afim de ficar com ele ele tinha o direito de fazer aquilo comigo. Não consegui reagir devido aos traumas. Eu sabia que se não tivesse falado com ele normalmente não poderia provar que ele fez isso comigo - afirma Najila.